Resultado do Dropbox supera estimativas

iStock
A receita subiu 27, para US$ 339,2 milhões, acima das expectativas de Wall Street de US$ 330,9 milhões

A previsão do Dropbox para o atual trimestre e o resultado do segundo trimestre superaram as estimativas de Wall Street, com a empresa de armazenamento online ganhando mais com um número maior de assinantes pagantes.

LEIA MAIS: Ações do Dropbox atingem máxima recorde após IPO

As ações do Dropbox, no entanto, recuavam mais de 7% hoje (10), depois que a empresa decidiu antecipar a data de vencimento do período em que os acionistas não podem vender seus papéis.

O período de lock-up, que agora vai expirar em 23 de agosto, liberará 356,4 milhões de ações adicionais para negociação.

A empresa, que concorre com o Google da Alphabet, Microsoft Corp e Amazon.com Inc, bem como Box Inc, disse que espera que a receita do terceiro trimestre fique entre US$ 350 milhões e US$ 353 milhões. Os analistas esperavam uma receita de US$ 345,9 milhões.

O executivo-chefe Drew Houston disse que mais clientes individuais e corporativos se inscreveram para seus planos recentemente introduzidos que oferecem maior armazenamento a preços mais altos, levando a uma maior receita média por usuário (Arpu).

A Arpu da companhia subiu para US$ 116,66 no trimestre e superou expectativas de US$ 113,95. Os assinantes pagantes cresceram em 20%, para 11,9 milhões no final de junho e superaram a média estimada por analistas de 11,73 milhões, de acordo com a FactSet.

A empresa, que começou como um serviço gratuito para compartilhar e armazenar fotos, músicas e outros arquivos grandes, trabalhou para oferecer software corporativo. Ainda tentando se tornar rentável, reportou prejuízo de US$ 4,1 milhões no segundo trimestre de 2018, ante prejuízo de US$ 26,8 milhões no ano anterior.

Excluindo itens únicos, o Dropbox lucrou US$ 0,11 por ação, superando as estimativas de US$ 0,06.

A receita subiu 27, para US$ 339,2 milhões, acima das expectativas de Wall Street de US$ 330,9 milhões.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).