Samsung Galaxy S7 é vulnerável a ataque de hackers

iStock
A Samsung disse que fez atualizações de segurança para proteger os aparelhos em janeiro

Os celulares Galaxy S7 da Samsung têm uma falha na segurança dos microchips descoberta no começo deste ano, que deixou dezenas de milhões de aparelhos vulneráveis à espionagem de hackers, disseram pesquisadores à Reuters.

LEIA MAIS: Samsung investirá US$ 22 bi em novas tecnologias

O Galaxy S7 e outros celulares da Samsung foram desenvolvidos para serem imunes à vulnerabilidade de segurança conhecida como Meltdown, que investigadores dizem que esteve presente na maioria dos computadores pessoais, celulares e outros dispositivos de computação no início deste ano.

Mas pesquisadores da Universidade Técnica de Graz, na Áustria, disseram terem descoberto uma maneira de explorar a vulnerabilidade do Meltdown para atacar os aparelhos Galaxy S7.

A Samsung disse que fez atualizações de segurança para proteger os aparelhos em janeiro, seguido por uma atualização de software em julho. “A Samsung leva a segurança muito a sério e nossos produtos e serviços são projetados com prioridade para este quesito”, afirmou a empresa em comunicado.

A equipe da Universidade de Graz planeja divulgar suas descobertas amanhã (9), na conferência de segurança Black Hat, em Las Vegas. Os pesquisadores austríacos estão analisando o impacto da Meltdown em outras marcas e modelos de celulares e esperam descobrir mais dispositivos vulneráveis ​​em um futuro próximo, disse o pesquisador Michael Schwarz à Reuters. “Há potencialmente ainda mais telefones afetados que ainda não conhecemos”, disse. “Existem potencialmente centenas de milhões de telefones que são afetados pela Meltdown e não podem ser consertados porque os próprios fornecedores não sabem.”

VEJA TAMBÉM: Por que a Apple não é a empresa mais valiosa do mundo

O Galaxy S7 é usado por cerca de 30 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a empresa de pesquisa Strategy Analytics. A Samsung lançou duas novas versões de sua linha de celulares Galaxy desde que o S7 entrou no mercado, em 2016.

Uma porta-voz da Samsung não comentou quantos aparelhos Galaxy S7 foram vendidos. Ela disse que não há casos relatados em que a Meltdown tenha sido usada para invadir um S7 e de que qualquer outro celular Samsung seja vulnerável.

A Meltdown, e uma segunda vulnerabilidade conhecida como Specter, podem ser usadas para revelar o conteúdo da unidade central de processamento de um computador como senhas ou detalhes de transações bancárias.

Não há casos conhecidos de hackers explorando qualquer vulnerabilidade em um ataque real, mas a divulgação das falhas generalizadas de hardware abalou a indústria de computadores, forçando os fabricantes de chips e de dispositivos a se esforçarem para conter as consequências.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).