Justiça pede a Tesla documentos sobre privatização

Getty Images
Musk também está enfrentando uma investigação do órgão regulador de valores mobiliários dos EUA, a Securities and Exchange Commission (SEC).

A Tesla disse hoje (18) que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos solicitou documentos relacionados às declarações públicas que o presidente-executivo, Elon Musk, fez em agosto sobre fechar o capital da montadora elétrica.

LEIA MAIS: Musk é processado por chamar socorrista de pedófilo

“Não recebemos uma intimação, um pedido de depoimento ou qualquer outro processo formal”, disse um porta-voz da Tesla em uma resposta por e-mail à Reuters sobre uma investigação. “Nós respeitamos o desejo do Departamento de obter informações sobre isso e acreditamos que o assunto deve ser rapidamente resolvido à medida que eles revisam as informações que receberam.”

O Departamento de Justiça não comentou o caso.

Promotores federais abriram uma investigação de fraude, informou a “Bloomberg”, citando duas pessoas familiarizadas com o assunto. A agência disse que o departamento abriu investigação sobre os tuítes em que Musk afirmava ter obtido financiamento para um acordo de recompra de ações avaliado em US$ 72 bilhões. O executivo voltou atrás das declarações pouco tempo depois.

Musk também está enfrentando uma investigação do órgão regulador de valores mobiliários dos EUA, a Securities and Exchange Commission (SEC).

Ao contrário do Departamento de Justiça, a SEC não tem poder para apresentar acusações criminais. Em vez disso, a autarquia poderia sujeitar Musk a sanções civis, como multas, renúncia a lucros indevidos e proibição de administrar empresas públicas.

“Uma investigação pode ocorrer de qualquer forma, mas achar que Musk é culpado pode causar sérias repercussões negativas no preço das ações da Tesla, o que prejudicará gravemente os investidores”, disse David Whiston, analista da Morningstar.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).