Kroton compra rede de colégios em Manaus e Rio Branco

Kroton viu suas ações se desvalorizarem mais de 40% este ano
Kroton viu suas ações se desvalorizarem mais de 40% este ano

A Saber, subsidiária da Kroton Educacional voltada exclusivamente ao segmento de educação básica, comprou o Centro Educacional Lato Sensu, adicionando cerca de 3,8 mil alunos à base de estudantes e ingressando na região Norte, anunciou hoje (24) a companhia, sem relevar o valor desembolsado. O acordo marca a terceira aquisição da Kroton desde que a companhia decidiu entrar no ensino básico e criou a holding Saber para concentrar os ativos.

LEIA MAIS: Kroton fecha parceria com Cubo Itaú

Em abril, a Kroton comprou o Centro Educacional Leonardo Da Vinci, em Vitória (ES), por quantia não revelada. A transação foi sucedida pela aquisição da Somos Educação por 4,6 bilhões de reais, um movimento que agregou ao grupo cerca de 35 mil alunos próprios e marcas fortes como o colégio Anglo.

O Centro Educacional Lato Sensu atualmente conta com quatro unidades em Manaus, no Amazonas, e uma em Rio Branco, no Acre. Para 2019, a Saber prevê abrir mais uma unidade em Manaus, na qual oferecerá ensino integral e bilíngue.

No comunicado de hoje, a Saber destaca que manterá a mesma proposta pedagógica nos colégios. “O objetivo é dar continuidade ao trabalho de qualidade que estava sendo desenvolvido, contribuindo com estrutura para os colégios adquiridos e compartilhando com eles as experiências bem-sucedidas que tivemos aqui e que vemos no exterior”, disse o diretor-presidente da Saber, Mario Ghio, na nota.

Por volta das 12h00, as ações da Kroton Educacional recuavam 1,38%, cotadas a R$ 10,73, enquanto o Ibovespa cedia 0,9%. Em 2018, os papéis do maior grupo de ensino superior privado do país acumulam desvalorização superior a 40%.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).