Los Angeles avança para proibir pele animal

iStock
Los Angeles deu um passo para proibir a venda e fabricação da maior parte dos produtos feitos com pele animal

A cidade de Los Angeles, um importante centro da indústria da moda global, deu um passo ontem (18) para se tornar a maior metrópole dos Estados Unidos a proibir a venda e fabricação da maior parte dos produtos feitos com pele animal.

LEIA MAIS: Fashion Week tem 1ª edição sem peles de animais

Seguindo a iniciativa de São Francisco e de duas cidades menores da Califórnia, a Câmara Municipal de Los Angeles aprovou por 12 votos a 0 a decisão de orientar a Promotoria da cidade a elaborar um decreto proibindo peças e acessórios de pele que vão desde casacos até amuletos de pés de coelho.

Para entrar em vigor, a proposta precisa ser sancionada pelo prefeito Eric Garcetti depois de ser aprovada pela Câmara.

Defensores da medida disseram esperar que a proibição ao uso de peles animais na segunda maior cidade dos Estados Unidos, apesar de seu vibrante cenário de moda e compras e da associação com o glamour, leve a medidas similares em defesa dos animais em outros lugares do mundo.

“Los Angeles é uma das capitais mundiais da moda, e se pudermos fazer isso aqui, podemos fazer em qualquer lugar”, disse o vereador Paul Koretz, um dos defensores do projeto, em entrevista coletiva antes da votação. “Esperamos que Nova York, Chicago e Miami estejam observando.”

Los Angeles abriga um dos maiores mercados de moda do mundo e tem uma região no centro da cidade com cerca de 4.000 lojas, showrooms e fabricantes que se espalham por cerca de 100 quarteirões, mas poucos comerciantes vendem produtos de pele de animal.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).