Walmart testa serviço para competir com Amazon Flex

iStock
A iniciativa é a mais recente tentativa do Walmart de enfrentar um dos maiores desafios do varejo

O Walmart está testando se motoristas independentes poderiam entregar compras realizadas na rede varejista, enquanto corre para cumprir sua meta de oferecer entrega em domicílio para mais de 100 cidades dos EUA até o fim do ano.

LEIA MAIS: Fortuna de Bezos bate US$ 160 bi após Amazon atingir US$ 1 tri

O programa piloto chamado Spark Delivery é semelhante ao Amazon Flex, um serviço da rival Amazon.com, em que uma frota de motoristas usa seus próprios carros para fazer entregas rápidas.

O Spark Delivery do Walmart é uma plataforma colaborativa, que trabalha com motoristas independentes que fazem parceria com a Delivery Drivers, uma empresa separada que gerencia esses trabalhadores.

A iniciativa é a mais recente tentativa do Walmart de enfrentar um dos maiores desafios do varejo: a chamada “última milha” de entrega de mercadorias a clientes online.

Apesar de ter 4.700 lojas 16 km de 90% da população dos EUA, o varejista de Bentonville, no Estado de Arkansas, ainda está tentando descobrir como fazer entregas com eficiência e aportou bilhões de dólares no comércio eletrônico nos últimos anos.

O Walmart é o maior vendedor de mantimentos dos EUA e sua expansão agressiva na entrega em domicílio sucede a compra da rede Whole Foods pela Amazon em 2017, o que estimulou diversos varejistas tradicionais a pressionarem por esses serviços, temendo o aumento da concorrência no setor.

VEJA TAMBÉM: Amazon lança site em hindi e acirra briga com Walmart

O Walmart até agora teve sucesso diversificado em suas várias iniciativas de entrega. A Reuters foi a primeira a relatar o fim das parcerias de entrega do Walmart com Uber e Lyft e como em um teste separado o varejista lutou para conseguir que seus próprios funcionários entregassem mantimentos para as residências dos clientes depois de completar as jornadas habituais de até nove horas.

Em março, o Walmart anunciou que oferecerá entrega de mantimentos para 100 cidades dos EUA que cobrem 40 por cento das residências norte-americanas até o final de 2018 e desde então tem feito parcerias com pequenas empresas de entrega como Doordash e Postmates, que oferecem empregos para trabalhadores , para atingir seu objetivo.

A partir desta quarta-feira, o Walmart informou que seu serviço de entrega em domicílio está disponível em quase 50 mercados, incluindo Atlanta, Chicago, Denver, Miami e Seattle.

A empresa disse que seu trabalho com fornecedores terceirizados continuará a ser parte importante de sua estratégia de entrega, mesmo com a execução deste piloto.

“O Spark Delivery é uma maneira de explorar como obter mantimentos de qualidade de nossa porta para as portas de nossos clientes”, disse o presidente-executivo do Walmart, Greg Foran, em comunicado.

E AINDA: Advent vai investir R$ 1,9 bi no Walmart no Brasil

A Spark usa a plataforma interna do Walmart para permitir que os motoristas se inscrevam em períodos que funcionem melhor com seus horários e oferece assistência de navegação, entre outros serviços.

O Walmart informou que o seu parceiro, Delivery Drivers, fará o recrutamento, triagem, verificação de antecedentes, pagamento e contabilidade, entre outros serviços para motoristas.

Uma porta-voz do Walmart disse à Reuters que os motoristas receberão uma taxa em cada entrega, juntamente com a gratificação que recebem dos clientes. Dependendo do número de pedidos entregues, o pagamento do motorista pode exceder US$ 20 por hora, disse.

A rival Amazon Flex paga aos motoristas independentes de US$ 18 a US$ 25 por hora pelas entregas, e os custos de combustível são de responsabilidade do motorista, de acordo com o site da Amazon Flex.

A Spark Delivery está atualmente sendo testada em Nashville e Nova Orleans, com planos de expandir para mais algumas áreas metropolitanas este ano, disse o Walmart sem oferecer mais detalhes.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).