Bilionário desiste de comprar o Estádio Wembley

Reuters
Khan, que também é proprietário do time da primeira divisão inglesa Fulham, disse que sua oferta não recebeu o apoio que esperava

Os planos da Associação Inglesa de Futebol (FA) de vender o Estádio Wembley e investir cerca de £ 600 milhões em instalações para as categorias de base e projetos desmoronaram hoje (17), uma vez que o norte-americano Shahid Khan, seu comprador em potencial, desistiu da oferta.

LEIA MAIS: 12 bilionários mais jovens dos Estados Unidos

O bilionário, que é dono do time de futebol norte-americano Jacksonville Jaguars, divulgou sua proposta em abril, e a possível venda foi debatida pelo conselho da FA com a assembleia da entidade para que a questão fosse votada no dia 24 de outubro.

Mas o desfecho foi posto em dúvida, já que a venda do emblemático estádio nacional dividiu opiniões.

“Em uma reunião recente com o senhor Khan, ele nos expressou que, sem um apoio mais forte dentro do esporte, sua oferta está sendo vista como mais polarizadora do que se imaginava que seria, e ele decidiu retirar sua proposta”, disse o diretor-executivo da FA, Martin Glenn, em um comunicado.

“Houve muita deliberação dos dois lados deste debate, e sem dúvida ele despertou atenção para o fato de que as instalações das categorias de base da Inglaterra precisam de um investimento significativo. Continuaremos a trabalhar juntos para identificar maneiras novas e inovadoras de investir nas instalações das categorias de base no futuro”, disse Glenn.

Khan, que também é proprietário do time da primeira divisão inglesa Fulham, disse que sua oferta não recebeu o apoio que esperava. “Neste momento, na sequência da audiência da assembleia da FA, parece não haver um mandato definitivo para vender Wembley, e minha proposta atual, subsequentemente, só receberia o apoio de uma pequena maioria do conselho da entidade, bem menos do que a margem conclusiva que o presidente da FA exigiu”, disse Khan em um comunicado.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).