Bunge cede à pressão e inclui diretores no Conselho

Getty Images
Investidores da D.E. Shaw e Continental Grain defendem uma potencial venda da trading de grãos

A Bunge vai adicionar quatro diretores a seu Conselho, disse hoje (31) a trading de grãos, curvando-se à pressão dos investidores ativistas D.E. Shaw e Continental Grain, que vêm defendendo uma potencial venda da companhia.

LEIA MAIS: Bunge considera venda e conversa com investidores

A expansão do Conselho ocorre em um momento em que a empresa está recebendo ofertas públicas de aquisição pela rival Archer Daniels Midland (ADM) e pela trading de commodities Glencore, diante de um excesso global de grãos que prejudicou os preços das commodities.

A Bunge disse que três dos novos diretores se juntarão imediatamente, enquanto um quarto integrará a equipe até o final do ano.

A empresa também disse que formaria um comitê separado, presidido pelo CEO da Continental Grain, Paul Friborg, para conduzir uma “revisão estratégica focada em aumentar o valor do acionista a longo prazo”.

Fontes disseram à Reuters ontem (30) que a Bunge estava finalizando acordos com os investidores D.E. Shaw e Continental Grain para adicionar diretores ao Conselho e criar um comitê para explorar uma possível venda.

A Bunge também reportou lucro melhor do que o esperado no terceiro trimestre, ajudado pelas margens mais altas de sua divisão de agronegócios.

VEJA TAMBÉM: Bunge vende operações de trading de açúcar para Wilmar

O lucro líquido da Bunge disponível aos acionistas subiu para US$ 365 milhões, ou US$ 2,39 por ação, no terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro, de US$ 92 milhões, ou US$ 0,59 por ação, um ano antes.

Excluindo-se itens únicos, a empresa faturou US$ 2,52 por ação, superando as estimativas médias dos analistas de US$ 2,39 por ação, segundo dados do Refinitiv.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).