Casino levanta € 565 mi com venda de imóveis

iStock
Casino firmou acordo para venda de imóveis da rede Monoprix por € 565 milhões

O grupo francês de supermercados Casino informou hoje (1) que firmou acordo para venda de alguns imóveis da rede Monoprix por € 565 milhões (US$ 655 milhões) para reduzir o endividamento que preocupa investidores e levou a rebaixamentos na nota de crédito da empresa.

LEIA MAIS: Carrefour e Casino se paqueram, mas negam tudo

O acordo, que envolve a venda e locação das propriedades, sucede a venda em julho de uma fatia de 15% do braço imobiliário do Casino, o Mercialys. O grupo francês agora está na metade do caminho da meta de vender € 1,5 bilhão em ativos até o começo de 2019.

As ações do Casino despencaram cerca de 30% em 2018 em meio a preocupações sobre o endividamento da companhia e da holding Rallye.

A empresa de pesquisa Muddy Waters levantou preocupações sobre a dívida do grupo, enquanto as agências de classificação de risco Standard & Poor’s e Moody’s rebaixaram o rating de crédito da companhia.

Por volta das 11:45 (horário de Brasília) de hoje (1), os papéis do Casino oscilavam em torno da estabilidade, após subirem mais cedo e figurarem entre os destaques positivos do índice SBF-120 da Bolsa de Paris.

Contudo, analistas disseram que o Casino precisava fazer mais que vender ativos imobiliários.

VEJA TAMBÉM: S&P rebaixa rating do Casino

O Casino informou que assinou um acordo com um investidor institucional não revelado para vender 55 propriedades ligadas à rede de supermercados Monoprix, uma importante fonte de lucro para companhia.

Os recursos provenientes da operação seriam recebidos até o fim de dezembro.

“O Grupo Casino confirma todas as metas para 2018”, disse a companhia em comunicado.

“O contínuo desempenho operacional bom e a progressiva implantação de novas alavancas de lucratividade permitirão ao Casino melhorar o lucro de varejo na França em 2019 em um ritmo similar ao de 2018, incluindo os efeitos de aluguéis adicionais”, informou o grupo.

Analistas da corretora Raymond James, que atribuem uma recomendação “market perform”, disseram que o Casino precisava fazer mais para melhorar sua performance de negócios na França, apesar da venda de ativos.

E TAMBÉM: Grupo francês Casino reforça foco em venda de ativos

No mês passado, o Casino disse ter rejeitado uma aproximação do Carrefour para fusão das operações, embora o rival tenha negado a proposta.

Cinco bancos concederam uma nova linha de crédito de € 500 milhões ao Rallye no mês passado, ainda que a venda de ativos também tenha reduzido o endividamento do Casino.

A Moody’s cortou a perspectiva para o Casino para “negativa” ante “estável” na última sexta-feira (28), para refletir “a alta alavancagem da Rallye, cuja dívida excede o valor dos ativos” e a baixa geração de fluxo de caixa nas lojas francesas.

O Casino reportou dívida líquida de cerca de € 5,4 bilhões durante o balanço preliminar em julho, enquanto a empresa atualmente tem uma capitalização de mercado de cerca de € 4 bilhões.

A Moody’s estimou o valor dos ativos da Rallye em cerca de € 2,2 bilhões, ante dívida líquida de € 2,9 bilhões.

E MAIS: Casino quer vender € 1,5 bi em ativos até 2019

A Standard & Poor’s atribuiu classificação “BB” à dívida do Casino, ante “BB+”,

O Casino informou que a desalavancagem e o plano de redução das dívidas até agora somaram € 778 milhões e que recebeu ofertas indicativas para mais ativos que podem ocorrer antes do fim do ano.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).