Comércio eletrônico deve faturar 15% mais na Black Friday

iStock
A cairá Black Friday em 23 de novembro e deve gerar 4 milhões de pedidos

O faturamento do comércio eletrônico na Black Friday de 2018 pode crescer 15% em relação ao ano passado, somando cerca de R$ 2,43 bilhões, segundo estimativa da Ebit|Nielsen divulgada hoje (1).

LEIA MAIS: Vendas do comércio eletrônico brasileiro sobem 10% na Black Friday

A data, que este ano cairá em 23 de novembro, deve gerar 4 milhões de pedidos, superando em 6,4% a Black Friday de 2017, apurou a empresa de pesquisa, com base em 3.013 amostras entre os dias 25 de julho e 14 de agosto.

O tíquete médio das compras é estimado em R$ 607,50, alta de 8% ano a ano. Conforme o levantamento, a proporção de consumidores que pretendem comprar na ocasião subiu 8 pontos percentuais, para 88,6%. Por outro lado, o número de pessoas que não planeja efetuar aquisições por não confiar na Black Friday caiu para 35%, ante 38% em 2017.

“O cenário é um reflexo de todo trabalho e repercussão positiva das últimas edições. As lojas também são fortemente impactadas por esse mérito e precisam zelar por sua reputação no mercado”, disse Keine Monteiro, diretora de inteligência e operações da Nielsen, em nota.

Segundo ela, 39% dos consumidores consideram a confiança na marca um fator determinante para compra, e outros 28% citaram o prazo de entrega como chave. Entre as categorias mais desejadas, a pesquisa destacou eletrônicos, eletrodomésticos, smartphones, informática, moda e acessórios.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).