Dólar recua abaixo de R$3,75 com otimismo eleitoral

Reuters
Dólar sobe e desce de acordo com as expectativas do mercado para as eleições

O dólar recuava na manhã de hoje (9) e operava abaixo de R$ 3,75, com os investidores ainda ecoando os resultados do primeiro turno das eleições. Às 10h38, o dólar recuava 0,50%, a R$ 3,7475 na venda, depois de chegar a abrir em alta. O dólar futuro tinha baixa nesta sessão de 0,75%. Na véspera, a moeda terminou em baixa de 2,35%, a R$ 3,7662, acumulando no mês até a segunda-feira queda de 6,71%.

LEIA MAIS: Com o dólar caro, vale a pena obter financiamento no exterior?

“O otimismo doméstico está se sobrepondo ao exterior. É muito recente o resultado de domingo”, disse o operador da H.Commcor Corretora Cleber Alessie Machado, acrescentando que o fato de o dólar ter fechado longe das mínimas na véspera favorece o movimento nesta sessão. No domingo, o primeiro turno das eleições terminou com Jair Bolsonaro (PSL) com cerca de 46% dos votos e Fernando Haddad (PT), que vai disputar com ele o segundo turno, com cerca de 29%. Além disso, o partido de Bolsonaro terminou com a segunda maior bancada na Câmara dos Deputados.

A preferência do mercado financeiro por Bolsonaro é apoiada no seu coordenador econômico, o economista liberal Paulo Guedes, e a expectativa é de que eles imponham uma agenda de reformas, entre elas a da Previdência, corte de gastos e ajuste fiscal. “Embora Bolsonaro tenha uma realidade que o coloca muito próximo de ser o vitorioso no próximo dia 28, o mercado deve reagir a quaisquer sinalizações de um segundo turno ‘dividido’, o que acaba por alimentar expectativas com o Datafolha de amanhã”, acrescentou Alessie Machado, citando a primeira pesquisa após o primeiro turno.

No exterior, o dólar sobe ante a cesta de moedas e também ante divisas de países emergentes, como o peso chileno. Os investidores estão preocupados com o orçamento italiano e ainda repercutem o corte das previsões de crescimento global feita pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), inclusive para o Brasil, em 2018 e 2019.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 7,7 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de novembro, no total de US$ 8,027 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).