Dólar tem leve alta ante real com correção

iStock
O dólar chegou a subir 1% no início dos negócios, indo à máxima de R$ 3,9346

O dólar interrompeu uma sequência de três quedas e subiu pela primeira vez em outubro, num leve movimento de correção influenciado pela fraqueza das divisas emergentes no exterior e ainda com uma pausa na euforia com o cenário eleitoral após a mais recente pesquisa Ibope.

LEIA MAIS: Dólar tem leves oscilações com fluxo de recursos

O dólar avançou 0,22%, a R$ 3,8960 na venda. Na véspera, cedeu 1,20%, a R$ 3,8876, acumulando até então uma queda de 3,70% nos primeiros três pregões da semana.

O dólar futuro subia cerca de 0,05%.

“O mercado continua bem-humorado com o resultado das pesquisas…surgiu espaço para correção técnica”, comentou o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva, ao citar que o exterior ajudou no movimento, bem como o Ibope sem novidades.

O dólar chegou a subir 1% no início dos negócios, indo à máxima de R$ 3,9346, após a pesquisa Ibope de intenções de voto à Presidência na véspera não perpetuar a euforia dos dois últimos pregões ao mostrar avanço apenas na margem do líder Jair Bolsonaro (PSL).

Um fluxo pontual de recursos acabou aliviando o movimento, fazendo com que a moeda passasse a operar com leves oscilações.

VEJA TAMBÉM: Dólar tem 3ª queda seguida e fecha abaixo de R$ 3,90

Segundo o levantamento do Ibope, Bolsonaro está com 32% das intenções de votos, 1 ponto a mais em relação ao dado anterior do instituto. Já o petista Fernando Haddad oscilou dois pontos para cima, para 23%.

Em simulação de segundo turno, os dois candidatos estão empatados tecnicamente, mas com Haddad numericamente acima de Bolsonaro com 43% das intenções de voto, contra 41% para o petista. No levantamento anterior divulgado na segunda-feira (1), os dois estavam empatados com 42%, cada um.

“O Ibope mostra candidatos oscilando na margem de erro, com números ligeiramente melhores para Haddad, baixando a fervura na especulação que ameaçava tomar força sobre chances de vitória em primeiro turno de Bolsonaro”, avaliou a corretora CM Capital Markets em relatório.

No exterior, o dólar rondava a estabilidade ante a cesta de moedas, depois de registrar mais cedo pico de seis semanas com o salto nos rendimentos dos Treasuries por causa de dados fortes da economia norte-americana divulgados na véspera.

O dólar subia ante as moedas de países emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

VEJA TAMBÉM: Dólar recua bem e opera abaixo de R$ 3,85

O Banco Central ofertou e vendeu integralmente nesta sessão 7,7 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 1,540 bilhão do total de US$ 8,027 bilhões que vence em novembro.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).