Dólar tem maior queda semanal em 30 meses

Ricardo Moraes/Reuters
Notas de real e dólar em casa de câmbio no Rio de Janeiro

O dólar voltou a fechar o dia em baixa ante o real hoje (5)  e vai para o primeiro turno das eleições à Presidência da República mais de 4% mais barato do que na semana anterior, com investidores animados com a possibilidade de uma vitória em primeiro turno de Jair Bolsonaro (PSL) ou de uma derrota de Fernando Haddad (PT), no segundo turno. O dólar recuou 1% por cento, a R$ 3,8570 na venda terminando a semana em queda de 4,46%, a maior desde o recuo semanal de 4,51% registrado no intervalo encerrado em 11 de março de 2016. O dólar futuro tinha variação positiva de 0,53%.

LEIA MAIS: 7 destinos de viagem onde seu dólar vale mais

Ontem, pesquisa Datafolha mostrou Bolsonaro com 35% das intenções de voto contra 22% de Haddad. Antes, a vantagem do candidato do PSL era de 32% a 21%. Pelo critério de votos válidos, Bolsonaro soma 39%, contra 38% no levantamento anterior, divulgado na terça-feira, enquanto Haddad registra 25%, ante os 24% de antes.

Outros dois levantamentos, XP/Ipespe, e Paraná/Empiricus, confirmaram os números. “O voto útil pode fazer a diferença. Caso os votos que hoje estão com Geraldo Alckmin, João Amoêdo, Álvaro Dias e Henrique Meirelles se transfiram para o candidato do PSL, pode ser que Bolsonaro de fato consiga ser eleito no primeiro turno. Não é um cenário impossível, apesar de improvável”, avaliou a economista da corretora CM Capital Markets Camila Abdelmalack, em relatório. Os investidores ajustaram um pouco suas posições para o pleito de domingo, buscando proteção com a compra de dólares, depois de a moeda ter renovado a mínima, a R$ 3,8963, após a divulgação de dados do mercado de trabalho norte-americano fora do setor agrícola abaixo do esperado.

Segundo o relatório do Departamento do Trabalho, foram criadas 134 mil vagas no mês passado, menor número em um ano, mas os dados de julho e agosto foram revisados para mostrar 87 mil vagas a mais do que o informado antes. A previsão era de abertura de 185 mil vagas. No exterior, o dólar tinha leve queda ante a cesta de moedas, e caía ante as divisas de emergentes, como o peso mexicano. O Banco Central ofertou e vendeu integralmente nesta sessão 7,7 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 1,925 bilhão do total deUS$ 8,027 bilhões que vence em novembro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).