Facebook diz que tráfico sexual é proibido na rede social

iStock
Mulher, que processa o Facebook, afirma que foi atraída para o comércio sexual aos 15 anos

O Facebook disse ontem (3), em resposta a uma ação judicial que acusa a empresa de não fazer o suficiente para proteger usuários de traficantes de pessoas, que a rede social trabalha interna e externamente para impedir esses predadores.

LEIA MAIS: Mulher acusa Facebook de permitir tráfico sexual no site

“O tráfico humano é abominável e não é permitido no Facebook. Nós usamos a tecnologia para impedir esse tipo de abuso e encorajamos as pessoas a reportar publicações que encontrem em nossa plataforma, para que nosso time de especialistas possa revisar o conteúdo rapidamente”, disse uma porta-voz da rede social em declaração.

Uma mulher norte-americana processou o Facebook nesta semana, afirmando que ela foi atraída para o comércio sexual aos 15 anos de idade por um homem que iniciou uma “amizade” com ela pela rede social. Segundo ela, o Facebook não fez o suficiente para verificar a identidade desse usuário ou alertar a vítima de que traficantes sexuais estavam operando pela plataforma.

“O Facebook também trabalha em conjunto com organizações de combate ao tráfico e outras empresas de tecnologia, e informamos todos os aparentes casos de exploração sexual de menores ao Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas”, disse a porta-voz da empresa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).