FMI corta previsões de expansão econômica global

Issei Kato/Reuters
Diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, em 4/10/2018

O Fundo Monetário Internacional (FMI) cortou suas previsões de crescimento econômico global para 2018 e 2019, afirmando que as tensões na política comercial e a imposição de tarifas de importação estão afetando o comércio, enquanto os mercados emergentes enfrentam dificuldades com condições financeiras mais restritivas e fluxo de saída de capitais. As novas projeções, divulgadas na noite de ontem (8) ilha indonésia de Bali, onde as reuniões anuais do FMI e do Banco Mundial estão sendo realizadas, mostram que a onda de forte crescimento, alimentada em parte pelos cortes nos impostos dos EUA e pela crescente demanda por importações, está começando a diminuir.

LEIA MAIS: Chore pela Argentina – o FMI está chegando

O FMI disse em uma atualização do seu relatório de perspectiva econômica mundial que agora prevê um crescimento global de 3,7% em 2018 e 2019, abaixo da previsão de julho, de crescimento de 3,9% para os dois anos.

A redução reflete uma confluência de fatores, incluindo a introdução de tarifas de importação entre os Estados Unidos e a China, desempenhos mais fracos dos países da zona do euro, Japão e Reino Unido e crescentes taxas de juros que pressionam alguns mercados emergentes com saídas de capital, especialmente Argentina, Brasil, Turquia e África do Sul.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).