Governo autoriza capital estrangeiro em fintechs

O governo federal edita um decreto que facilita a entrada das chamadas fintechs

O governo federal editou hoje (30) um decreto que facilita a entrada das chamadas fintechs – empresas financeiras com uso intensivo de tecnologia –, com capital estrangeiro no Brasil, em uma medida que tem como objetivo aumentar a concorrência no sistema financeiro nacional.

LEIA TAMBÉM: Brasil tem 3 das 100 fintechs mais inovadoras do mundo

O decreto dispensa as fintechs de obterem autorização presidencial específica quanto tiverem investidor estrangeiro no seu capital social até o limite de 100%, desde que autorizadas pelo Banco Central do Brasil a operarem no sistema financeiro nacional.

“Sua atuação [das fintechs] aumentará a concorrência no sistema financeiro, contribuindo para a redução do custo do crédito, mediante oferta de produtos a um público ainda não plenamente atendido pelo sistema bancário tradicional, composto principalmente por pessoas físicas e microempresas”, disse o BC em nota.

Atualmente, a participação estrangeira no capital de instituições financeiras somente é permitida se for considerada como de interesse do Brasil. Agora, no caso das fintechs de crédito, esse interesse já está previamente manifestado.

“A realização de investimentos estrangeiros nas fintechs é fundamental para fomentar avanços contínuos em inovações tecnológicas e para permitir que tais instituições ampliem o leque de produtos financeiros diferenciados e inovadores”, acrescentou o BC.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).