Groupon pagará US$ 57 mi para encerrar disputa com IBM

iStock
A IBM alegou que o Groupon usou sua tecnologia patenteada de comércio eletrônico sem autorização

O marketplace Groupon disse hoje (1) disse que pagará US$ 57 milhões à IBM para resolver uma disputa judicial de propriedade intelectual.

LEIA MAIS: Groupon acusa IBM de extorquir empresas de tecnologia

A ação da IBM, aberta na Justiça norte-americana em 2016, alegou que o Groupon usou sua tecnologia patenteada de comércio eletrônico sem autorização.

Um júri decidiu em favor da IBM em julho, ordenando que o Groupon pagasse US$ 83 milhões em danos.

William Lafontaine, gerente geral de propriedade intelectual da IBM, disse que o acordo com o Groupon demonstra o valor da propriedade intelectual que deriva de seu investimento anual de mais de US$ 5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento.

O acerto entre as empresas também incluiu um contrato de licença cruzada de patente de longo prazo entre as empresas.

Bill Roberts, vice-presidente de comunicações globais do Groupon, disse em comunicado que a licença que adquiriu para o portfólio de patentes da IBM “permitirá ao Groupon continuar a fabricar produtos incríveis para consumidores e pequenas empresas em todo o mundo”.

VEJA TAMBÉM: Resultados trimestrais da IBM superam estimativas

No julgamento, a IBM pediu ao júri indenização de US$ 167 milhões por danos, dizendo que desenvolveu uma tecnologia amplamente licenciada para o desenvolvimento da internet.

O caso foi observado de perto no setor de tecnologia porque dá um vislumbre dos esforços da IBM para licenciar seu grande portfólio de patentes para outras empresas.

Um executivo de licenciamento da IBM testemunhou que Amazon, Facebook, Google, LinkedIn e Twitter pagam individualmente de US$ 20 milhões a US$ 50 milhões pelo acesso ao portfólio de patentes da IBM.

Em 2017, a IBM gerou cerca de US$ 1,2 bilhão em receita de suas atividades de licenciamento.

Durante o julgamento, o advogado do Groupon disse que a IBM usa patentes antiquadas para tirar dinheiro de outras empresas de tecnologia com ameaças de litígio.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).