Inadimplência paulistana é recorde: maior desde 2012

Paulo Whitaker/Reuters
Visão geral de prédios em São Paulo, em 13/03/2016

A proporção de famílias da cidade de São Paulo inadimplentes subiu pelo terceiro mês seguido em setembro e atingiu o maior nível desde maio de 2012, a 20,6%, informou hoje (10) a associação de varejistas FecomercioSP, citando que o quadro deve seguir negativo neste mês. O levantamento da entidade foi apurado junto a 2,2 mil consumidores na capital paulista. O índice de inadimplentes corresponde a 804 mil famílias.

LEIA MAIS: 10 dicas para enfrentar o desemprego

“Há uma persistência na taxa de inadimplência em um patamar histórico elevado e o aumento das famílias que não têm condições de pagar. A alta taxa de desempregados não permite que haja melhora nesses números no curto prazo”, afirmou a entidade.

Segundo a FecomercioSP, 9,8% das famílias paulistanas declararam que não conseguirão pagar as dívidas em atraso no próximo mês e continuarão inadimplentes, o maior índice neste quesito desde agosto de 2004.

A pesquisa também identificou um aumento do tempo da dívida dos paulistanos. Em relação a setembro do ano passado, o percentual de famílias na capital paulista com dívidas em atraso por mais de 90 dias subiu 49,8% para 56,3% do total.

O levantamento afirma que 25,5% das famílias com renda abaixo de 10 salários mínimos declararam ter alguma dívida atrasada em setembro, tecnicamente igual ao maior patamar histórico registrado em agosto, de 25,7%. Já a inadimplência das famílias paulistanas com renda superior a dez salários recuou 0,4 ponto percentual na comparação anual.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).