MP abre inquérito para apurar vazamento de dados no Facebook

iStock
“O Facebook está levando isso muito a sério e adotou ações imediatas para proteger a segurança das pessoas”, disse a empresa

O Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) abriu hoje (1) inquérito civil público para investigar o suposto vazamento de dados pessoais de usuários brasileiros do Facebook, após a empresa ter dito na última sexta-feira (28) que hackers obtiveram acesso a 50 milhões de perfis da rede social.

LEIA MAIS: Como o Facebook foi invadido e por que é um desastre

O MPDFT citou o fato de que o ataque cibernético “permitiu aos criminosos apropriarem-se dos chamados ‘tokens’ de acesso, chaves que autorizam o acesso dos usuários às contas”. Para o MPDFT, o ataque “pode ter permitido o acesso indevido a dados pessoais dos usuários como nome, sexo e cidade”.

O promotor de Justiça Frederico Meinberg Ceroy, coordenador da Comissão de Proteção dos Dados Pessoais do MPDFT, comentou no despacho que o novo incidente de segurança aconteceu há menos de 10 dias do primeiro turno da eleição presidencial brasileira e que a comissão já é responsável pela investigação da atuação da Cambridge Analytica no Brasil.

Procurado, o Facebook disse que ainda não foi notificado pelo MPDFT, mas que está à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido.

“O Facebook está levando isso muito a sério e adotou ações imediatas para proteger a segurança das pessoas”, disse a empresa em nota à Reuters.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).