Preços do petróleo operam abaixo de máxima de 4 anos

Christian Hartmann
Máquina de extração de petróleo em Strasbourg, França, em 06/10/2017

Os contratos futuros do petróleo operavam abaixo do pico de preço de quatro anos hoje (3), depois de a Arábia Saudita anunciar que aumentou sua produção para níveis quase recordes e da revelação de que o país fechou um acordo com os russos, em setembro, para turbinar a produção. Mas os preços ainda encontravam apoio nas expectativas de que as sanções dos Estados Unidos contra o Irã, que entram em vigor a partir de 4 de novembro, mantenham as reservas apertadas. Os preços do petróleo vêm subindo, pois os compradores já começaram a se afastar do Irã antes da implementação das sanções dos EUA, que visam sufocar a produção de petróleo do terceiro maior produtor da Opep.

LEIA MAIS: 13 países mais dependentes do preço do petróleo

O petróleo Brent subia US$ 0,03, ou 0,04%, a US$ 84,83 por barril, às 8h55 (horário de Brasília). O petróleo dos EUA avançava US$ 0,05, ou 0,07%, a US$ 75,28 por barril. Os contratos do Brent atingiram US$ 85,45 o barril ontem, seu maior nível desde novembro de 2014.

A Rússia, maior produtora de petróleo do mundo, e a Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo, haviam informado aos EUA sobre seu acordo privado antes de uma reunião na Argélia com outros produtores, disseram fontes à Reuters.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).