Volvo tem queda de 50% no resultado do 3º tri

Forbes
A fabricante prevê continuidade do forte lucro e do crescimento da receita e das vendas de varejo em 2018

A montadora sueca Volvo Cars, que adiou os planos de abrir capital neste ano, reportou uma queda de quase 50% no resultado operacional do trimestre, prejudicada pelos custos de lançamentos de produtos e pelo impacto das tarifas mais altas.

LEIA MAIS: Demanda por caminhões melhora previsões da Volvo

A companhia, que pertence à chinesa Geely, informou que o resultado operacional caiu para 1,84 bilhão de coroas suecas (US$ 201,5 milhões) no trimestre encerrado em 30 de setembro, ante 3,67 bilhões de coroas suecas no ano anterior.

Montadoras emitiram uma série de alertas nas últimas semanas, com a introdução de regulamentações europeias mais rígidas sobre as emissões de poluentes prejudicando ainda mais as perspectivas para a indústria automobilística, que já está enfrentando o impacto de uma guerra comercial crescente e da desaceleração do crescimento no mercado chinês.

A Volvo disse hoje (26) que a desaceleração do crescimento econômico e a intensificação dos desafios comerciais prejudicaram a demanda por carros de passeio na China, mas o apetite do consumidor em seu maior mercado permaneceu forte para seus modelos premium.

A fabricante prevê continuidade do forte lucro e do crescimento da receita e das vendas de varejo em 2018, apoiado por sua carteira de produtos renovada e menores despesas de capital.

VEJA TAMBÉM: Volvo Cars desiste, por enquanto, de IPO

No entanto, o presidente-executivo Hakan Samuelsson disse que a tensão comercial entre os EUA e a China continua sendo uma preocupação para a empresa.

A montadora, que abriu sua primeira fábrica nos EUA este ano e agora está aumentando a produção do S60, disse que ajustou os preços em certos mercados, realocou veículos para outros mercados e reestruturou suas linhas de produção em resposta a tarifas mais altas.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).