Berkshire Hathaway, de Buffett, dobra lucro

Getty Images
O lucro operacional no terceiro trimestre dobrou para US$ 6,88 bilhões

A Berkshire Hathaway Inc, conglomerado liderado pelo bilionário Warren Buffett, disse hoje (3) que seu lucro operacional dobrou no terceiro trimestre, conforme seu negócio de seguros conseguiu evitar impactos de furacões e se beneficiar de menores impostos.

LEIA MAIS: Brasileira Stone espera atrair Warren Buffett em IPO

O forte resultado garante a Buffett mais dinheiro para desenvolver seus negócios, embora o investidor conhecido por sua estratégia de “caçar barganhas” tenha admitido que tem sido difícil encontrar onde aplicar seus lucros, recorrendo à recompra de US$ 928 milhões em ações de sua própria companhia no último trimestre.

O lucro operacional no terceiro trimestre dobrou para US$ 6,88 bilhões, ante US$ 3,44 bilhões há um ano, acima dos US$ 6,11 bilhões esperados por Wall Street, segundo dados da Refinitiv.

As operações de seguros da companhia foram ajudadas por menores passivos estimados no setor de imóveis e acidentes frente aos últimos anos e menores impostos. O ano anterior incluiu grandes perdas devido a três furacões nos EUA e um terremoto no México.

Os ganhos com seguros foram de US$ 441 milhões no trimestre, ante uma perda de US$ 1,4 bilhão no mesmo período do ano anterior.

“Esse é absolutamente um dos melhores resultados trimestrais já anunciados por uma corporação norte-americana”, disse o chefe-executivo da Smead Capital Management, acionista da Berkshire, Bill Smead.

VEJA TAMBÉM: Jovem bilionário indiano é o novo parceiro de Buffett

A Berkshire disse que o lucro líquido do terceiro trimestre subiu mais de 355%, para US$ 18,5 bilhões, embora isso reflita uma nova regra contábil que exige que a empresa reporte ganhos de investimento não realizados nos resultados. Buffett disse que a que regra pode induzir os investidores ao erro e sugeriu eles devem olhar para o lucro operacional.

A taxa de impostos efetivamente pagos pela Berkshire no terceiro trimestre foi de 19,2%, comparado a 25,3% no mesmo período do ano anterior, após a redução da alíquota de imposto corporativo sancionada pelo presidente Donald Trump em dezembro.

A Berskshire tem US$ 103,6 bilhões em caixa, títulos do Tesouro de curto prazo e investimentos similares.

A última grande aquisição de Buffett foi em janeiro de 2016, quando a Berkshire pagou US$ 32,1 bilhões pela fabricante de peças para aeronaves Precision Castparts. Em julho, a companhia anunciou um alívio em uma política que na prática impedia o bilionário de recomprar ações da companhia por seus preços correntes.

A Berkshire tem sede em Omaha, no Nebraska, Estados Unidos, e detém mais de 90 negócios nos setores de seguros, químicos, energia, alimentos e varejo, além de equipamentos para indústrias, ferrovias e outros setores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).