Blablacar compra operadora de ônibus Ouibus

Getty Images
App de caronas dá primeiro passo para um modelo mais amplo de transporte

O aplicativo francês de caronas de carro Blablacar anunciou hoje (12) acordo para comprar a Ouibus, uma operadora de ônibus administrada pela estatal ferroviária francesa SNCF, em uma primeira saída importante de seu modelo de negócios original para a construção de uma companhia mais ampla de transporte.

LEIA MAIS: Buser investirá R$ 50 mi em expansão em 2019

A Blablacar, que tem operações no Brasil, não revelou os termos financeiros da operação, mas afirmou que levantou € 101 milhões em financiamento de investidores, incluindo a SNCF, que se tornará acionista da companhia.

A oferta da Blablacar pela Ouibus coloca a startup em outro patamar, crescendo muito além de sua proposta inicial de prover serviços de transporte compartilhado em automóveis. A Ouibus, fundada em 2012 pela SNCF como uma operadora de ônibus de longa distância e de baixo custo, atravessa um processo de expansão internacional.

A Blablacar, lançada em 2006 e uma das empresas iniciantes de tecnologia que mais cresce na França, permite que motoristas compartilhem o custo de viagens longas com passageiros. O aplicativo tem atualmente 65 milhões de usuários em 22 países.

A compra da Ouibus vai envolver o trabalho conjunto com a SNCF, para que viajantes que reservarem viagens ferroviárias também possam receber opções de carro ou de ônibus para chegar ao destino final.

O anúncio acontece em um momento em que o setor de transporte por aplicativo segue em forte expansão pelo Brasil. Mais cedo, a Reuters publicou que a startup brasileira de fretamento de ônibus Buser investirá R$ 50 milhões no país para expandir seus serviços na região Sudeste, projetando ingresso em outras regiões a partir de 2020.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).