Chairman da Nissan é preso no Japão, diz emissora NHK

Reuters
A emissora pública “NHK” informou que Ghosn está sendo interrogado por suspeita de violações financeiras

O presidente do conselho de administração da Nissan Motor Co, Carlos Ghosn, foi preso por supostas violações financeiras no Japão, emissora pública “NHK” hoje (19).

LEIA MAIS: Nissan admite novo caso de irregularidade em testes

O jornal “Asahi” havia informado em seu site que Ghosn, que também é presidente do conselho e executivo-chefe da Renault da França, é suspeito de ter subestimado sua própria receita nas demonstrações financeiras e concordou em falar voluntariamente com os promotores.

Um porta-voz da Nissan disse que a empresa estava checando a reportagem. Porta-vozes da Renault e da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi não responderam ao pedido de entrevista.

A emissora pública “NHK” também havia informado que Ghosn está sendo interrogado por suspeita de violações financeiras.

O Ministério Público do Distrito de Tóquio se recusou a comentar.

As ações da Renault caíam acentuadamente em Paris, com recuo de 5,5%, e se situavam entre os papéis com pior desempenho na Europa.

VEJA TAMBÉM: Nissan lança versão do carro elétrico Leaf com mais autonomia

Ghosn, um raro executivo estrangeiro no topo da carreira no Japão, é bem visto por ter tirado a Nissan da beira da falência.

Nascido no Brasil, descendente de libaneses e cidadão francês, iniciou sua carreira na Michelin na França e depois se transferiu para a Renault. Ele se juntou à Nissan em 1999 depois que a Renault comprou uma participação controladora e se tornou seu presidente-executivo em 2001.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).