Dólar cai ante real com exterior e otimismo político

iStock
Às 10h45, a moeda norte-americana recuava 0,81%, a R$ 3,6926 na venda

O dólar iniciou novembro em queda ante o real, em dia de maior busca pelo risco no mercado internacional e com os investidores ainda animados com os primeiros passos do novo governo eleito.

LEIA MAIS: Dólar fecha mês com maior queda desde junho de 2016

Às 10h45, a moeda norte-americana recuava 0,81%, a R$ 3,6926 na venda, depois de terminar outubro com a maior queda porcentual desde junho de 2016, de 7,79%.

Na mínima, a moeda foi a R$ 3,6882 e, na máxima, a R$ 3,7088. O dólar futuro tinha baixa de 0,80%.

“Equipe econômica e projetos do governo Bolsonaro continuam sendo o foco do mercado nesse período de transição”, destacou a Elite Corretora em relatório.

Hoje (31), o destaque era o encontro entre o juiz federal Sérgio Moro e o presidente eleito Jair Bolsonaro, com a possibilidade de o primeiro aceitar o convite para ser o novo ministro da Justiça – possibilidade que acabou de ser confirmada.

“Bolsonaro ganhará pontos muito positivos com a população, que tem em Moro um exemplo probo e tê-lo no governo seria uma garantia de que a ordem seria mantida e a corrupção combatida”, escreveu a gestora Infinity. Isso pode ser um ponto “a elevar ainda mais a confiança pós-vitória, com consequência nos indicadores econômicos de fim de ano”.

VEJA TAMBÉM: Dólar sobe ante real com formação de Ptax

O otimismo com o cenário político doméstico encontrava nesta quinta-feira respaldo em um movimento de maior busca pelo risco no exterior, levando o dólar a cair ante a cesta de moedas e também ante as divisas de países emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Expectativas de que a China aumente seu estímulo fiscal ajudava as divisas emergentes, enquanto o euro era favorecido pela esperança de acordo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.

O feriado de Finados na sexta-feira (2), com divulgação do relatório do mercado de trabalho nos Estados Unidos, que pode reforçar a percepção de mais alta de juros no país, entretanto, pode trazer alguma cautela ao mercado local ao longo da sessão, comentaram alguns profissionais das mesas de dólar.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 13,6 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de dezembro, no total de US$ 12,217 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).