Dólar tem leves oscilações ante real

iStock
O dólar opera com leves oscilações monitorando o cenário externo

O dólar opera hoje (8) com leves oscilações monitorando o cenário externo, em dia de decisão de política monetária do Federal Reserve, e com os investidores à espera de novidades sobre a equipe econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro e a reforma da Previdência.

LEIA MAIS: Dólar recua ante real e fecha a R$ 3,73

A moeda norte-americana está cotada a R$ 3,7395 na venda. O dólar futuro apresenta baixa de cerca de 0,20%.

“A eleição de meio de mandato nos Estados Unidos foi boa para reduzir o ímpeto do Fed de subir os juros. Embora a reunião de hoje seja menos importante porque não se espera aumento das taxas, acaba interferindo, já que o mercado quer saber o que o banco central vai escrever”, explicou o diretor da consultoria de valores mobiliários Wagner Investimentos José Faria Júnior.

Na terça-feira (6), eleições parlamentares nos Estados Unidos garantiram o comando da Câmara dos Deputados ao Partido Democrata, enquanto os republicanos de Donald Trump garantiram a continuidade de seu domínio no Senado.

Dessa forma, é esperado que Trump tenha dificuldades, por exemplo, de implementar uma nova rodada de corte de impostos, o que poderia fazer com que o Federal Reserve tivesse mais trabalho em assegurar a inflação sob controle. Por ora, o Fed prevê pelo menos cinco altas de juros até o início de 2020, com um aumento em dezembro, três em 2019 e o último no início do ano seguinte.

Essa trajetória pode ser mais suave ou, pelo menos, não ter necessidade de ser reforçada com o novo quadro político dos EUA.

VEJA TAMBÉM: Dólar recua ante real após revés para Trump

O dólar operava em alta ante a cesta de moedas na sessão de hoje, mas estava misto ante as emergentes, com leve baixa ante o peso chileno e alta ante a lira turca.

Internamente, os investidores continuavam acompanhando o noticiário político, à espera de novidades sobre a reforma da Previdência e também a formação do novo governo. A notícia de que poderá promover alterações na previdência por meio de medidas infraconstitucionais, ou seja, sem serem emendas à Constituição, teve uma leitura positiva pelos agentes.

“O presidente Michel Temer deveria ter feito isso há muito tempo. As medidas infraconstitucionais não dependem de maioria”, avaliou Faria Júnior, para quem essa notícia juntamente com a aprovação da urgência para cessão onerosa ajudam a aliviar a pressão no dólar.

Na véspera, os senadores aprovaram requerimento que confere o regime de urgência para projeto de lei que promete viabilizar a realização de um mega leilão de áreas para a produção de petróleo do pré-sal.

Por outro lado, também aprovaram reajuste de 16,38% para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), com impacto bilionário nas contas públicas.

E TAMBÉM: Dólar sobe e termina no maior nível em quase 1 mês

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 13,6 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de dezembro, no total de US$ 12,217 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).