“Missão Impossível” impulsiona lucro e receita da Viacom

Divulgação
Tom Cruise em um dos filmes da franquia “Missão Impossível”

A Viacom Inc, dona da MTV, Comedy Central e Nickelodeon, superou as estimativas de lucro e receita hoje (16), impulsionada pelo sucesso do filme “Missão Impossível – Efeito Fallout”. Os resultados positivos elevaram as ações da companhia em cerca de 4%, para US$ 33,5 nas negociações antes do início do pregão e deram um respiro para a empresa. Os resultados são um respiro para a Viacom, depois de anos de turbulências sobre seu futuro como uma empresa autônoma ou como parte, em uma fusão, da CBS Corp.

LEIA MAIS: Empresário vende companhia duas vezes e arrecada US$ 700 mi

Uma tentativa de fusão entre a Viacom e a CBS no início deste ano desmoronou devido a divergências sobre a administração executiva. A CBS processou seus acionistas controladores, Shari Redstone e National Amusements Inc., para impedir a fusão. A CBS e a Viacom são controladas pela família Redstone através da National Amusements.

A Viacom disse que a receita mundial de suas afiliadas somou US$ 1,19 bilhão, superando as estimativas de US$ 1,17 bilhão, segundo dados da Refinitiv. A receita total consolidada no trimestre encerrado em 30 de setembro também subiu 5%, para US$ 3,49 bilhões, ante US$ 3,32 bilhões no ano anterior.

A Paramount, que voltou a registrar lucro no segundo trimestre, registrou quase US$ 800 milhões em vendas mundiais com o mais recente lançamento da série de ação “Missão Impossível”, estrelada por Tom Cruise, informou a empresa.

O lucro líquido atribuível à Viacom, no entanto, caiu para US$ 394 milhões, ou US$ 0,98 por ação, ante US$ 674 milhões, ou US$ 1,67 por ação. Em uma base ajustada, o lucro chegou a US$ 0,99 por ação, disse a empresa. Os analistas esperavam, em média, um lucro de US$ 0,95 centavos por ação e uma receita de US$ 3,37 bilhões.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).