Mitsubishi demite Ghosn da presidência do conselho

Regis Duvignau/Reuters
Por cinco anos, Ghosn teria declarado ganhar metade dos 10 bilhões de ienes (US$ 88,47 milhões) que de fato amealhava

A Mitsubishi Motors informou hoje (26) que seu conselho de administração dispensou Carlos Ghosn da posição de presidente do colegiado, após sua prisão e demissão da parceira de coalizão Nissan Motor,  na semana passada, por suspeita de irregularidades financeiras.

LEIA MAIS: Nissan aprova demissão de Carlos Ghosn

A demissão de Ghosn marca o fim de seu reinado nas montadoras japonesas apenas dois anos depois de ele ter sido elogiado por levar um controle rígido para a Mitsubishi Motors na sequência de um escândalo de fraudes em 2016.

O presidente-executivo da empresa, Osamu Masuko, vai assumir temporariamente o cargo de presidente do conselho de administração, disse a montadora.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).