Odebrecht pede ajuda à RK para renegociar dívida

Paulo Whitaker/Reuters
RK Partners é a 2ª empresa de reestruturação que o conglomerado contratou

A Odebrecht está trabalhando com a firma de reestruturação RK Partners para renegociar parte de sua dívida bancária, disseram três fontes a par do assunto. A RK Partners é a segunda empresa de reestruturação que o conglomerado contratou recentemente. No início da semana, a Odebrecht anunciou que deu mandato à Moelis e dois escritórios de advocacia para reestruturar US$ 3 bilhões em títulos emitidos por sua unidade Odebrecht Finance após perder um prazo para pagar US$ 11,5 milhões em juros.

LEIA MAIS: Odebrecht perto de acordo de leniência na Argentina

A Odebrecht e sua controlada Braskem concordaram em dezembro de 2016 em pagar pelo menos US$ 3,5 bilhões, a maior multa da história por suborno, para resolver os encargos envolvendo pagamentos à Petrobras e outros. Desde então, a empreiteira vem negociando acordos judiciais para resolver acusações de corrupção em países da América Latina, como Peru, Argentina e México. Sua unidade de construção tem lutado para conquistar novos contratos no Brasil e em outros países da América Latina.

Uma das fontes, que pediu anonimato por não ser autorizada a falar do assunto publicamente, disse que a Odebrecht contratou a RK Partners para discutir como a empresa pode reter pelo menos parte dos lucros da venda de ativos como a usina hidrelétrica de Chaglia, no Peru, e uma participação na usina hidrelétrica de Santo Antônio, em vez de entregar o montante total aos credores.

O Ministério da Justiça do Peru informou ontem (29) que chegou a um acordo com a Odebrecht que permite ao conglomerado prosseguir com a venda da usina.

A Moelis e os outros dois escritórios serão responsáveis ​​apenas por negociar com os detentores de títulos, disseram duas fontes. A RK está trabalhando com a Odebrecht para pressionar pela extensão dos vencimentos de suas dívidas com bancos incluindo Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil .

A Odebrecht não pode forçar os bancos a negociar, já que uma grande fatia de sua dívida de R$ 70 bilhões está garantida com sua fatia na petroquímica Braskem .

A Odebrecht está negociando a venda de sua participação na Braskem para a Lyondell Basell ou converter sua participação em ações em uma nova companhia combinada, mas qualquer negócio desse tipo requer autorização dos bancos.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).