Picasso reencontrado na Romênia pode ser falso

Getty Images
“Cabeça de Arlequim”, de Picasso, foi roubado de uma exposição em Roterdã, em 2012

Uma pintura que procuradores da Romênia disseram ontem (18) poder ser uma obra de Pablo Picasso roubada em 2012 é mais provavelmente uma falsificação criada como um golpe publicitário, noticiou a mídia holandesa.

LEIA MAIS: Picasso roubado aparece na Romênia após seis anos

A emissora estatal “NOS” citou o autor Frank Westerman, que ajudou a localizar a pintura no condado romeno de Tulcea graças a uma dica anônima, entregando-a à polícia romena no sábado (17).

Ontem, Westerman disse à “NOS” que recebeu um e-mail de uma companhia de teatro belga que está encenando uma peça sobre um falsificador de arte famoso. Ele disse que a pintura que recuperou parece ser uma falsificação escondida que é parte de uma farsa elaborada.

Separadamente um ex-curador do museu que tinha a posse da “Cabeça de Arlequim” verdadeira disse à televisão holandesa que, com base em fotos que viu da pintura encontrada, parece se tratar de uma falsificação.

Não foi possível fazer contato imediato com os procuradores romenos que disseram ontem que estão tentando verificar a autenticidade da obra para obter comentários.

A companhia de teatro Berlin de Antuérpia, na Bélgica, que está apresentando a peça, disse em um tuíte com um palavreado cuidadoso que “recuperou” a “Cabeça de Arlequim” em uma nova moldura.

VEJA TAMBÉM: Obras de Monet e de Picasso serão leiloadas em Londres

Em seu site a companhia disse que “voltará com mais detalhes sobre esta questão nos próximos dias” e listou links de reportagens sobre a descoberta da pintura.

O verdadeiro Picasso foi roubado de uma exposição em Roterdã, um dos assaltos mais dramáticos do mundo da arte.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).