Spotify tem modesta alta em assinantes no 3º tri

GettyImages
Migração de ouvintes para os serviços de assinatura pagos impulsiona melhoria da saúde financeira da indústria musical.

O Spotify, serviço de streaming de música mais popular do mundo, divulgou hoje (1) um modesto aumento de 5% em sua base de assinantes premium no terceiro trimestre, enquanto as margens brutas e de receita ficaram praticamente em linha com expectativas do mercado.

VEJA TAMBÉM: Resultado do Spotify não impressiona Wall Street

Com uma forte venda nos mercados globais das principais ações de tecnologia no último mês, os papéis do aplicativo anularam seu ganho de 30% depois da estreia da empresa sueca no mercado acionário dos Estados Unidos, em abril, na Bolsa de Valores de Nova York.

Os assinantes mensais, que entregam 90% da receita, subiram para 87 milhões, ante 83 milhões no trimestre encerrado em junho. Os resultados mais recentes corresponderam à previsão média em uma pesquisa da Thomson Reuters. Os usuários totais aumentaram para 191 milhões, incluindo ouvintes gratuitos com suporte de publicidade.

A empresa elevou suas expectativas para usuários ativos mensais no ano para entre 199 milhões e 206 milhões. Analistas, em média, previam 208 milhões de usuários até o final de 2018.

A receita do terceiro trimestre subiu 31%, para € 1,352 bilhão. Dezessete analistas consultados pela Thomson Reuters previam, em média, € 1,33 bilhão.

As margens brutas aumentaram para 25,3%, ante 22,3% no terceiro trimestre de 2017. Os analistas esperavam margens em torno de 24,9%, de acordo com a pesquisa da Thomson Reuters.

E AINDA: Spotify compra empresa de licenciamento de “música cover”

O Spotify, que lançou seu serviço de streaming de música há uma década, desfrutou de um aumento no crescimento de assinantes nos últimos anos. A crescente migração de ouvintes para os serviços de assinatura pagos ante música gratuita ou pirateada é um fator chave que impulsiona a melhoria da saúde financeira da indústria musical mais ampla.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).