Ações do Twitter desabam com suspeita de hackers

Getty Images
Empresa anunciou que investigava tráfego suspeito apoiado por governos

As ações do Twitter caíram quase 7% após a empresa ter dito que investigava tráfego suspeito possivelmente conduzido por hackers apoiados por governos e, no que parece ser um problema não relacionado, uma empresa de segurança ter informado que a plataforma foi usada por invasores que tentaram roubar dados de usuários.

LEIA MAIS: Twitter tem pior crescimento em número de usuários

O Twitter anunciou em um blog que identificou tráfego suspeito em um fórum apoiado por clientes, enquanto investigava uma falha de segurança que expôs dados, incluindo o código de país dos telefones de usuários e detalhes sobre contas bloqueadas. De acordo com a empresa, a falha foi corrigida em 16 de novembro.

A companhia citou ainda grande quantidade de tráfego vindo de endereços de IP na China e na Arábia Saudita. “Embora não possamos confirmar a intenção ou atribuição com certeza, é possível que alguns desses endereços de IP possam ter laços com atores apoiados por governos”, informou o Twitter no blog.

Um porta-voz da empresa se recusou a entrar em detalhes, enquanto as ações do Twitter registraram a maior queda em mais de dois meses.

VEJA TAMBÉM: Usuários mais populares do Twitter perdem em média 2% de seguidores

Separadamente, a fabricante de software de segurança Trend Micro disse em um blog, também ontem (17), que hackers enviaram dois tuítes em outubro, em uma tentativa de roubar dados de máquinas anteriormente infectadas.

Eles esconderam instruções em memes tuitados que secretamente ordenaram os dispositivos infectados a enviar informações, incluindo nomes de usuários, imagens de tela e outros conteúdos, conforme a Trend Micro. O porta-voz do Twitter não quis comentar sobre o relato da empresa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).