CEO da Sears faz oferta de US$ 4,4 bi para manter rede funcionando

Getty Images
A rede varejista americana atualmente enfrenta processo de falência

O presidente-executivo da Sears Holdings Corp, Eddie Lampert, fez uma oferta de compra de US$ 4,4 bilhões à rede varejista americana, que atualmente enfrenta processo de falência, no que deve ser a única chance de a empresa evitar fechar as portas e demitir dezenas de milhares de trabalhadores, disse um porta-voz do fundo de investimentos do bilionário ontem (29).

LEIA MAIS: 5 maneiras como um CEO pode destruir uma empresa

A proposta de Lampert é composta, em parte, por US$ 1,3 bilhão em financiamentos de três diferentes instituições financeiras, disse o porta-voz do fundo de investimentos ESL.

Com a oferta, seriam preservadas cerca de 425 lojas que a Sears ainda não fechou e seriam garantidos os empregos de até 50.000 trabalhadores, entre os 68.000 empregados pela rede varejista. Uma afiliada da ESL, a Transform Holdco LLC, apresentou a proposta, disse o porta-voz.

Fontes familiarizadas com o assunto disseram que o financiamento vem de bancos que já são credores da Sears, como Bank of America e Citigroup, e também o Royal Bank of Canada, que anteriormente não era um credor. Juntos, eles concordaram em fornecer US$ 950 milhões com base em empréstimos e uma linha de crédito rotativo de US$ 350 milhões.

Além disso, outra parte da oferta de Lampert depende de US$ 1,8 bilhão em dívidas da Sears que a ESL já detém e planeja perdoar para apoiar a oferta, disseram as fontes. A oferta também inclui cerca de US$ 400 milhões em financiamentos de credores não-bancários, disseram as fontes.

A oferta contempla a adoção de acordos de proteção que a Sears vendeu anteriormente para tranquilizar clientes que compraram eletrodomésticos, televisores, tratores e outros itens caros, disse o porta-voz da ESL.

Já está no disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.
Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).