China lança sonda para explorar lado escuro da Lua

iStock
Avanço do programa espacial tem sido uma prioridade dos líderes chineses

A China lançou hoje (8) a primeira sonda para explorar o lado escuro da Lua, registrando mais um marco em seu ambicioso programa espacial, informou a agência oficial de notícias Xinhua. A sonda, a Chang’e-4, deve fazer a primeira aterrissagem suave do outro lado da Lua, segundo a Xinhua. Espaçonaves anteriores já viram o outro lado da Lua, mas nenhum pousou nele. A Lua está presa à Terra, girando na mesma velocidade que orbita nosso planeta, então o lado distante nunca é visível da Terra.

LEIA MAIS: Um fim de semana em Pequim

Às 2:23 da madrugada deste sábado (16:23 no Brasil), um foguete Longa Marcha-3B, transportando a sonda, incluindo um veículo espacial e um jipe, partiu do centro de lançamento de satélites Xichang, no sudoeste da China, informou a Xinhua.

As tarefas da sonda Chang’e-4 incluem observação radio-astronômica de baixa freqüência, pesquisa do terreno e o relevo, detecção da composição mineral e mediação da radiação de nêutrons e os átomos neutros para estudo do ambiente do outro lado da Lua, informou a Xinhua citando a Administração Nacional do Espaço da China.

O avanço do programa espacial da China tem sido uma prioridade de seus líderes, com o presidente Xi Jinping pedindo que a China se estabeleça como uma potência espacial. A China pretende alcançar a Rússia e os Estados Unidos para se tornar uma grande potência espacial até 2030. Está planejando lançar a construção de sua própria estação espacial tripulada no ano que vem.

No entanto, enquanto a China insiste que suas ambições são puramente pacíficas, o Departamento de Defesa dos EUA acusou-a de realizar atividades destinadas a impedir que outras nações usem ativos espaciais durante uma crise.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).