Criptomoeda deveria ser proibida, diz presidente da Allianz GI

Após um boom espetacular em 2017, as criptomoedas caíram neste ano.

O chefe de um dos maiores gestores de ativos da Europa pediu aos reguladores globais que proíbam criptomoedas, alegando que elas destroem a economias das pessoas.

LEIA MAIS: Prejuízo com criptomoeda afeta credibilidade do blockchain

Após um boom espetacular em 2017, as criptomoedas caíram neste ano. A moeda virtual mais conhecida, o bitcoin, perdeu três quartos de seu valor, enquanto o ripple e o ehereum, segunda e terceira maiores criptomoedas, mostraram um declínio de quase 90%.

“Vocês devem proibir isso… Eu estou pessoalmente surpreso que os reguladores não tenham entrado mais duro”, disse hoje (11) o presidente-executivo da Allianz Global Investors, Andreas Utermann, durante um painel em Londres.

Utermann fez os comentários ao lado de Andrew Bailey, o chefe da Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido. Bailey respondeu dizendo: “isso é muito forte, na verdade”, acrescentando que não havia “nenhum valor intrínseco” em moedas virtuais.

“Estamos observando isso muito de perto.” As autoridades também monitoram ofertas iniciais de criptomoedas (ICOs, na sigla em inglês), que as empresas usaram como uma forma alternativa de levantar fundos, disse Bailey.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).