Dólar tem alta à espera de BC e de olho no exterior

iStock
Às 10h30, a moeda norte-americana avançava 0,35%, a R$ 3,9103 na venda

O dólar está sendo negociado hoje (26) com leve alta ante o real, com investidores à espera de um leilão de venda da moeda com compromisso de recompra e de olho na movimentação política nos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Dólar sobe e se aproxima dos R$ 3,90

Às 10h30, a moeda norte-americana avançava 0,35%, a R$ 3,9103 na venda, antes de leilão de US$ 2 bilhões com compromisso de recompra, em nova ação do Banco Central no mercado. O dólar futuro registra alta de cerca de 0,2%.

“Os mercados reagem às incertezas políticas nos EUA”, escreveram analistas da XP.

Investidores acompanham desdobramentos de uma série de questões políticas desencadeadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, além da queda recente nas bolsas globais e no preço do petróleo como indicadores de desaceleração do crescimento mundial.

Enquanto negocia os termos de um acordo com a China para encerrar uma disputa comercial, Trump chegou a discutir reservadamente a demissão do chairman do Fed, Jerome Powell, e voltou a atacá-lo na véspera do Natal, dizendo que o banco central era o “único problema” da economia dos EUA.

A pressão de Trump pela aprovação de recursos pelo Congresso para construção de um muro na fronteira do México também levou a uma paralisação parcial do governo desde sábado (2), em um impasse que, segundo ele, continuará até que haja dinheiro para a obra.

VEJA TAMBÉM: Dólar sobe ante real seguindo exterior

“Desde sua eleição em 2016, com maior ênfase a partir do último trimestre de 2017, Trump tem sido um elemento de disrupção constante para o mercado financeiro norte-americano e global”, escreveu Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset. “Um dos grandes baluartes da economia norte-americana é a independência formal do banco central e o pedido constante de demissão de Powell por parte de Trump. E suas reclamações com o Fed têm ecoado negativamente no mercado, levando à pior véspera de Natal das bolsas norte-americanas”, completou

Desde a semana passada, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, fez uma série de contatos para monitorar o mercado depois que o S&P 500 fechou no nível mais baixo desde a Grande Depressão há quase um século.

Depois de consultar os seis maiores bancos do país sobre sua liquidez, Mnuchin ouviu dos reguladores financeiros do governo que não há nada fora do normal nos mercados, em uma movimentação que deixou investidores receosos.

Hoje, o dólar recuperava perdas contra uma cesta das seis principais moedas, em cenário de fuga do risco que também provocava compra de títulos do governo dos EUA.

Já está no disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.
Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).