Empresas da zona do euro têm ano mais fraco desde 2014

Leonhard Foeger/Reuters
“Está claro que a taxa de crescimento desacelerou mais, e isso está generalizado em indústria e serviços”, disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit

As empresas da zona do euro encerraram o ano com fraqueza, expandindo no ritmo mais lento em mais de quatro anos uma vez que o crescimento das novas encomendas perdeu força diante das tensões comerciais e protestos violentos na França, mostrou nesta sexta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI), na sigla em inglês. O PMI Composto preliminar do IHS Markit caiu a 51,3 em dezembro, leitura mais fraca desde novembro de 2014, de 52,7 em novembro.

LEIA MAIS: PIB do euro em menor ritmo em 4 anos: 0,2% no 3º tri 

“É um cenário relativamente sombrio para terminar o ano. Está claro que a taxa de crescimento desacelerou mais, e que isso está generalizado em indústria e serviços”, disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

Sugerindo que não haverá muita aceleração no início de 2019, o índice que mede novos negócios caiu para a mínima de quatro anos de 50,7 ante 52,3 em novembro.

O PMI do setor de serviços recuou para 51,4 em dezembro de 53,4 no mês anterior. O crescimento da indústria também desacelerou inesperadamente, com o PMI do setor caindo a 51,4 de 51,8 e ante expectativa de 51,9, atingindo a leitura mais fraca desde fevereiro de 2016.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).