Mercado de cartões no Brasil pode atingir R$ 2 tri em 2019

Getty Images
Neste ano até setembro, o mercado de cartões no país movimentou R$ 1,1 trilhão

O mercado brasileiro de meios eletrônicos de pagamentos pode atingir a marca de R$ 2 trilhões em 2019, à medida que a atividade econômica se recupera e o aumento da concorrência no setor barateia e amplia o número de transações, disse hoje (6) o presidente da Mastercard para Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto.

LEIA MAIS: Mercado de cartões no Brasil cresce 15% no 3º tri

“O mercado deve acelerar o ritmo de expansão no próximo ano e tem potencial para alcançar a marca de R$ 2 trilhões”, disse Paro Neto. A taxa de expansão do segmento deve ficar entre 16% a 17%.”

Neste ano até setembro, o mercado de cartões no país movimentou R$ 1,1 trilhão, alta de 14% ante mesma etapa do ano passado. A projeção de crescimento da Associação das Empresas Brasileiras de Cartão de Crédito e Serviços (Abecs) para o ano fechado em 2018 é de alta de 15,5%, para cerca de R$ 1,6 trilhão.

Segundo Paro Neto, a aceleração no setor deve refletir também a disseminação dos meios eletrônicos para outras modalidades de pagamentos, como as chamadas transações por aproximação, sem uso físico do cartão de crédito ou de débito.

Para o executivo, cerca de 3 mil cidades já estão aptas a realizar pagamentos por esse canal no Brasil e em novembro só a Mastercard computou quase 310 mil transações em São Paulo.

Parte dessa expansão foi impulsionada por cartões pré-pagos, inclusive os usados para pagamento de transporte público. “Esse será um dos grandes vetores de crescimento para nós no ano que vem”, disse Paro Neto.

VEJA TAMBÉM: Mercado de cartões tem maior crescimento em 4 anos

A Mastercard superou a Visa em 2017 e se tornou a maior bandeira de pagamentos no Brasil, com 46% de participação do mercado, segundo dados do Banco Central.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).