Sinopec assusta o mercado e derruba índices chineses

Reuters
O índice de ações de Xangai registrou seu menor fechamento desde novembro de 2014

Os índices acionários chineses fecharam na mínima em quatro anos hoje (27), pressionados pela Sinopec, que caiu depois que a Reuters informou que a gigante petrolífera estatal havia suspendido dois executivos de sua equipe.

LEIA MAIS: Sinopec afasta executivos de divisão de trading

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,4%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,6%.

O índice de ações de Xangai registrou seu menor fechamento desde novembro de 2014. O número agora está abaixo da média móvel de 50 dias e da média móvel de 100 dias.

O subíndice do setor financeiro recuou 0,1%, enquanto o subíndice de saúde recuou 0,9%.

A Sinopec, oficialmente conhecida como China Petroleum & Chemical Corp, suspendeu duas altas autoridades por causarem severas perdas nas negociações, informou a Reuters hoje.

As ações da empresa, que é a maior refinaria da Ásia, caíram após a notícia ser divulgada, fechando com recuo de 6,8% em Xangai e caindo 4% em Hong Kong.

VEJA TAMBÉM: Ex-executivo da Sinochem tem pena de 12 anos de prisão

“Isso foi um choque para o mercado”, disse Zhang Gang, analista da Central Securities em Xangai. “Ainda não está claro o que pode acontecer em seguida na empresa.”

Em Tóquio, o índice Nikkei avançou 3,88%, a 20.077 pontos. Em Hong Kong, o índice HANG SENG caiu 0,67%, a 25.478 pontos. Em Xangai, o índice SSEC perdeu 0,61%, a 2.483 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, retrocedeu 0,38%, a 2.990 pontos. Em Seul, o índice KOSPI teve valorização de 0,02%, a 2.028 pontos. Em Taiwan, o TAIEX registrou alta de 1,72%, a 9.641 pontos. Em Singapura, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 1,12%, a 3.044 pontos. Em Sydney, o S&P/ASX 200 avançou 1,88%, a 5.597 pontos.

Já está no disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.
Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).