DowDuPont prevê queda nas vendas do 1º tri

iStock
A unidade produz itens químicos usados ​​para fabricar fluidos de freio e materiais de embalagem

A companhia de produtos químicos DowDuPont previu hoje (31) uma queda surpreendente da receita do atual trimestre, afetada pela redução de vendas em sua maior unidade, o que levou as ações da empresa a caírem cerca de 8%.

LEIA MAIS: DowDuPont supera estimativas de lucro no 3º tri

A empresa, formada pela fusão das gigantes Dow Chemical e DuPont em 2017, disse esperar que a receita do primeiro trimestre caia um dígito médio, mas não deu detalhes.

Os analistas esperavam que a DowDupont reportasse receita de US$ 22,63 bilhões no primeiro trimestre, 5% acima do trimestre do ano anterior.

A companhia disse que as vendas na unidade responsável pela maior parte de receita cairá, percentualmente, em dígitos altos no primeiro trimestre, pesando sobre a previsão geral.

A unidade produz itens químicos usados ​​para fabricar fluidos de freio e materiais de embalagem.

Para o quarto trimestre, as vendas líquidas somaram US$ 20,1 bilhões, estável ano a ano, mas abaixo da estimativa média de US$ 20,9 bilhões, segundo dados do IBES Refinitiv. As vendas foram afetadas pelos efeitos cambiais, disse o vice-presidente financeiro Howard Ungerleider.

VEJA TAMBÉM: DowDuPont tem resultado melhor do que o esperado

“Esperamos que a expansão econômica global continue em 2019 em um ritmo moderadamente mais lento do que 2018”, disse o executivo, acrescentando que a empresa monitora de perto a atividade econômica na China. Segundo ele, no trimestre, a DowDuPont registrou crescimento percentual de dois dígitos no país asiático.

No trimestre, a empresa disse que os preços locais nas regiões que opera aumentaram em cerca de 1%, mas as mudanças cambiais reduziram as vendas em 2%.

O lucro líquido das operações continuadas no quarto trimestre foi de US$ 513 milhões. A DowDuPont obteve um benefício de US$ 1,1 bilhão por menores impostos nos EUA no mesmo trimestre do ano anterior, mas perda líquida de US$ 1,2 bilhão de operações contínuas, com custos ligados a fusões. O lucro ajustado no trimestre foi de US$ 0,88 por ação, um aumento de 6%.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).