Uber e Lyft vão oferecer ações de IPOs a motoristas

Getty Images
Empresas querem melhorar relação com os condutores

Uber e Lyft planejam oferecer bônus em dinheiro para alguns de seus motoristas mais ativos com a opção de comprar ações nas tão esperadas estreias em Wall Street, um esforço audacioso para melhorar as relações de motoristas com as empresas na transição para os mercados acionários.

LEIA MAIS: Conheça o aplicativo que paga as corridas do Uber

Ambos os programas oferecerão aos motoristas que conduziram mais e registraram o maior número de milhas para as empresas a rara chance de comprar ações no IPO, antes que elas comecem a ser negociadas em bolsas de valores públicas, segundo quatro fontes com conhecimento do assunto. Tais transações são, normalmente, indisponíveis para investidores de varejo.

A mudança é a mais recente oferta do Uber e da Lyft para melhorar as relações com os motoristas que há muito reclamam de serem considerados como contratados independentes e alegam ter baixa remuneração e de receber um tratamento ruim das empresas, que enfrentam milhares de casos de arbitragem sobre o status de emprego desses profissionais.

A Lyft planeja oferecer aos motoristas que tenham registrado pelo menos 10 mil viagens na plataforma US$ 1.000 que poderão ser mantidos como bônus em dinheiro ou usados para comprar ações do IPO, disse hoje (28) uma das fontes. O plano é um esforço para recompensar os motoristas mais antigos e ativos, que não desfrutam de benefícios como seguro-saúde e reembolso de despesas.

Um motorista que tenha completado 20 mil viagens seria elegível para ganhar US$ 10 mil em dinheiro ou o equivalente em ações, disse a fonte. Não ficou claro quantos motoristas se qualificariam, mas não há limites para o programa.

Muitos motoristas em áreas urbanas, como São Francisco e Los Angeles, dirigem tanto para o Uber quanto para a Lyft, e alguns podem se beneficiar dos dois programas de ações.

VEJA TAMBÉM: Daimler e BMW investirão € 1 bi para concorrer com Uber

O Uber e a Lyft solicitaram o IPO em dezembro de forma confidencial. Espera-se que a Lyft divulgue publicamente sua documentação regulatória nesta semana, com detalhes sobre o programa de recompensas de ações para motoristas.

A Lyft espera ser avaliada entre US$ 20 bilhões e US$ 25 bilhões no IPO, acima de sua atual avaliação de US$ 15 bilhões. O Uber está buscando uma avaliação que pode chegar a US$ 120 bilhões, acima de sua avaliação de US$ 76 bilhões no mercado privado.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).