Dólar tem leve variação aguardando Previdência

iStock
Às 10:28, a moeda norte-americana avançava 0,05%, a R$ 3,8226 na venda

O dólar tinha leves variações ante o real na manhã de hoje (18), com investidores aguardando com cautela a tramitação da Previdência, em especial o envio das novas regras de aposentadoria para as Forças Armadas, em semana que terá também reuniões do Copom e do Federal Reserve.

LEIA MAIS: Dólar tem maior queda semanal em 1 mês e meio

Às 10:28, a moeda norte-americana avançava 0,05%, a R$ 3,8226 na venda. Na sexta-feira (15), a moeda recuou 0,71%, a R$ 3,8206 na venda, e registrou a maior queda semanal em 1 mês e meio. O dólar futuro subia cerca de 0,3%.

Em visita oficial a Washington até amanhã (19), o presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter ontem (17) para dizer que ainda não viu a proposta de mudanças nas regras de aposentadorias dos militares, apesar de o governo ter dito que enviará o texto ao Congresso até dia 20.

Na semana passada, líderes partidários afirmaram que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) não votará a PEC da Previdência até que a proposta de reforma dos militares chegue ao Congresso.

O mercado está atento a eventuais concessões que podem ser feitas a militares em razão das mudanças. Nesta segunda-feira, uma fonte próxima às negociações disse à Reuters que já está quase certo um reajuste na ajuda de custo dos militares quando seguem para a reserva.

Até quarta-feira (20), segundo o operador de câmbio da Necton Corretora José Carlos Amado, deve prevalecer um tom de cautela, com agentes aproveitando para comprar dólar após movimento forte na semana passada, quando a divisa norte-americana acumulou queda de 1,28%.

VEJA TAMBÉM: Dólar cai ante real com cautela na cena doméstica

“O mercado precisaria de algo mais concreto (sobre Previdência), talvez na quarta-feira, quando teremos a agenda mais cheia. O mercado deve ficar mais cauteloso até lá”, avaliou o operador.

Ainda na agenda de quarta-feira, o mercado aguarda reunião do Copom, quando é esperado que se conheça um pouco mais sobre a postura do novo presidente do Banco Central brasileiro, Roberto Campos Neto, sem previsão de mudanças na direção da política monetária.

No mesmo dia, autoridades do Federal Reserve se reúnem e o mercado projeta que o banco central norte-americano deve reforçar o tom dovish (suave), podendo até descartar uma nova alta de juros para este ano.

“Tanto cá como lá se espera pela manutenção da taxa de juros, mas o que realmente está sob observação será a postura adotada pelas instituições mais adiante”, afirmou o operador de câmbio da Advanced Corretora, Alessandro Faganello, em nota.

O Banco Central realiza nesta segunda-feira leilão de até 14,5 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de abril, no total de US$ 12,321 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).