Dólar tem pouca variação ante real

iStock
Às 10:15, a moeda norte-americana recuava 0,05%, a R$ 3,7872 na venda

O dólar tinha pouca variação ante o real na manhã de hoje (20), com o mercado em compasso de espera antes de uma agenda cheia no período da tarde, com decisões do Copom e do Federal Reserve dividindo atenções com a provável entrega da proposta de reforma da Previdência dos militares ao Congresso.

LEIA MAIS: Dólar fecha praticamente estável

Às 10:15, a moeda norte-americana recuava 0,05%, a R$ 3,7872 na venda. Na véspera, a divisa norte-americana fechou com variação negativa de 0,06%, a R$ 3,7892 na venda. O dólar futuro rondava a estabilidade.

“Investidores estão lateralizados por enquanto em função dos fatos que têm pela frente, decisão de juros nos EUA e Copom por aqui”, afirmou o analista de câmbio da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva Filho.

“O mercado está bem técnico. Livre de fatos por enquanto, abre-se um espaço para decisões mais técnicas, mais relacionadas a níveis de preço”, explicou.

As expectativas de que o Fed irá manter a taxa de juros e reforçará a postura “dovish” (suave) já estão na maior parte precificadas pelo mercado, mas há atenção quanto à possibilidade de o banco central norte-americano reduzir o número de altas projetadas para este ano.

Agentes financeiros também estarão focados no “dot plot”, diagrama que traz as apostas individuais de autoridades do Fed sobre futuras altas de juro.

VEJA TAMBÉM: Dólar recua ante real monitorando Previdência

Com relação ao Copom, já está largamente consolidada a expectativa de manutenção da Selic no atual nível, com investidores buscando na decisão, a primeira sob o comando de Roberto Campos Neto, indícios sobre a futura atuação do BC brasileiro.

Ainda no lado doméstico, investidores monitoram a provável entrega do projeto da reforma da Previdência das Forças Armadas ao Congresso, depois de deputados avisaram que só votarão a PEC na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) após o envio do projeto que trata da nova aposentadoria para militares.

Na véspera, após declarações divergentes de integrantes do governo, o secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse que todas as alternativas sendo aventadas para a reforma das regras dos militares necessariamente trarão uma economia para o Tesouro em 10 anos.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 14,5 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de abril, no total de US$ 12,321 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).