Apple e Qualcomm resolvem disputa por royalties

Getty Images
O acordo também inclui um pagamento da Apple para a Qualcomm

A Apple e a Qualcomm decidiram hoje (16) abandonar todos os litígios em andamento e resolver uma disputa sobre royalties, chegando a um acordo sobre licença global de patente e fornecimento de chips.

LEIA MAIS: Ações da Apple sobem pela 10ª sessão seguida

O acordo também inclui um pagamento da Apple para a Qualcomm, cujo tamanho as duas empresas não divulgaram.

As ações da Qualcomm dispararam mais de 20% no final da tarde, enquanto os papéis da Apple oscilavam perto da estabilidade.

A Apple entrou com um processo de US$ 1 bilhão contra a Qualcomm em janeiro de 2017, acusando a fabricante de sobrecarga de chips e recusando-se a pagar cerca de US$ 1 bilhão em descontos prometidos. Na sequência, a Qualcomm entrou com ação judicial alegando que a Apple usou seu peso no ramo de eletrônicos para pedir a fornecedores, como a Hon Hai, para reter pagamentos de royalties da Qualcomm que a Apple tinha historicamente reembolsado para as fábricas.

Como parte do acordo, a Qualcomm também encerrará o litígio com os fabricantes contratados da Apple.

A companhia criada por Steve Jobs alegou que as práticas de patente da Qualcomm eram um movimento ilegal para manter o monopólio do mercado de chips de modem que conectam telefones inteligentes a redes de dados sem fio.

VEJA TAMBÉM: Apple supera Spotify nos EUA em assinaturas pagas

Os iPhones da Apple usavam antes apenas chips da Qualcomm, que ajudam um dispositivo a se conectar a redes de dados sem fio. Com o lançamento do iPhone 7 em 2016, a empresa começou a usar chips de modem da Intel em alguns modelos.

A Qualcomm disse a investidores em julho que acredita que seus chips modernos foram completamente removidos da mais nova geração de iPhones lançada em setembro, deixando a Intel como o único fornecedor.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).