Dólar avança ante o real

iStock
Às 10:34, a moeda norte-americana avançava 0,35%, a R$ 3,9465 na venda

O dólar avançava ante o real na manhã de hoje (23), acompanhando o movimento externo antes da votação da admissibilidade da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, prevista para começar às 14h30.

LEIA MAIS: Dólar fecha em ligeira alta ante real

Às 10:34, a moeda norte-americana avançava 0,35%, a R$ 3,9465 na venda. Na véspera, a divisa norte-americana fechou com variação positiva de 0,08%, a R$ 3,9328 na venda. O dólar futuro subia 0,25% neste pregão.

A análise do novo parecer pela admissibilidade da reforma da Previdência na CCJ nesta tarde concentra a atenção de investidores neste pregão, que optam por manter a cautela antes da votação.

“Investidores estão ‘vacinados’ e preparados para eventuais contratempos por parte da oposição, que ainda ontem (22) sofreu uma derrota no STF, instância que negou ação do PSB pela suspensão da votação da PEC em questão”, afirmou a corretora H.Commcor, em nota.

Negociado desde a última quarta-feira (17), quando a comissão encerrou a discussão da proposta, o texto deve trazer alterações demandadas pelo centrão, como o fim da extinção da multa de 40% do FGTS na demissão sem justa causa de aposentados, e a retirada da exclusividade do Poder Executivo para propor mudanças na reforma.

O centrão também negociava a chamada desconstitucionalização de alterações na Previdência, que abre o caminho para que novas mudanças previdenciárias possam ser feitas por leis complementares, e, com menos chances mudança no abono salarial que tem forte impacto fiscal.

VEJA TAMBÉM: Dólar tem maior alta semanal em um mês

A previsão original era que a PEC da Previdência fosse votada na CCJ na semana passada, mas diante da ameaça real de sofrer uma derrota no colegiado e da aliança pontual entre partidos do centrão e a oposição, o governo acenou com alterações no texto da proposta e prometeu analisar as indicações a cargos de segundo escalão.

Enquanto não há decisão na CCJ, o que pode ocorrer apenas após o fechamento do mercado, e na ausência de outros fatores internos que possam fazer preço, investidores locais se voltam para o exterior e as negociações passam a acompanhar o movimento externo, explicou o analista de câmbio da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva Filho.

“Um fator importante que não está nas notícias é o desconto que o euro está tendo (ante o dólar) em função das sessões em que os mercados ficaram fechados por lá”, disse o analista.

“Além disso, esse movimento vem sendo potencializado pelo exterior negativo no dia de hoje. Há um sentimento de aversão ao risco”, afirmou ele, citando a decisão dos Estados Unidos de encerrar as isenções sobre as exportações de petróleo do Irã.

O dólar avançava cerca de 0,4% ante uma cesta de moedas, enquanto o euro perdia 0,4% contra o dólar.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 5,350 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de maio, no total de US$ 5,343 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).