Ações da Uber têm nova queda forte em NY

Reuters
Na mínima até o momento, os papéis chegaram a US$ 37,18

As ações da Uber chegaram a recuar mais de 10% hoje (13), ampliando as perdas desde a sua estreia em Wall Street na última sexta-feira (10) e levantando mais dúvidas sobre a credulidade de investidores na sua capacidade de gerar lucro.

LEIA MAIS: IPO do Uber está entre os piores do setor de tecnologia

Por volta das 11:20 (horário de Brasília), os papéis recuavam 7,2%, a US$ 38,57. Na mínima até o momento, chegaram a US$ 37,18.

O movimento, que ocorria em meio a fortes perdas nas praças acionárias globais estimuladas por mais tensões comerciais entre Estados Unidos e China, reduzia o valor de mercado da empresa em cerca de US$ 11 bilhões após a oferta ser precificada a US$ 45 por ação.

Antes de abrir o capital, a Uber reduziu suas expectativas de avaliação duas vezes em dois meses para atender às preocupações dos investidores com os crescentes prejuízos da empresa e precificou sua oferta pública inicial no limite inferior da faixa de preço.

A rival Lyft, que fez seu IPO em US$ 72 por ação em 29 de março, perdeu um terço de seu valor de mercado desde então e recuava 5,2% nesta manhã.

VEJA TAMBÉM: Uber chega a cair quase 9% em estreia na NYSE

Ambos os IPOs ocorreram em um cenário de preocupações renovadas em Wall Street sobre o crescimento global devido às tensões comerciais, embora os mercados de ações dos EUA estejam atualmente muito mais altos do que eram no final do ano passado.

Enquanto as duas empresas buscam encontrar maneiras de reduzir os custos com motoristas para melhora a rentabilidade, houve protestos em várias cidades norte-americanas no começo do mês exigindo segurança no emprego, renda habitável e um teto para as empresas.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).