Bradesco compra BAC Florida por aproximadamente US$ 500 mi

Reuters
O Bradesco fechou acordo de aquisição do BAC Florida por aproximadamente US$ 500 milhões

O Bradesco, segundo maior banco privado do país, fechou acordo de aquisição do banco norte-americano BAC Florida Bank com seus controladores por aproximadamente US$ 500 milhões, no seu primeiro movimento de aquisição fora do Brasil.

LEIA MAIS: Bradesco tem alta no lucro do 1º tri com empréstimos

“Concretizada a aquisição, o Bradesco assumirá as operações do BAC Florida, com o principal objetivo de ampliar a oferta de investimentos nos EUA aos seus clientes de alta renda [Prime] e do Private Bank”, disse hoje (6) a instituição financeira em fato relevante.

De acordo com o documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o BAC Florida vem oferecendo, a partir do Estado norte-americano da Flórida, por 45 anos, diversos serviços financeiros nos Estados Unidos, com destaque para pessoas físicas de alta renda não residentes.

“Expandir nossas ofertas de produtos e serviços através do BAC Florida é uma forma de ser o banco preferencial de gestão de fortunas para nossos clientes, que exigem cada vez mais diversificação e maior acesso a soluções globais”, disse o presidente-executivo do Bradesco, Octavio de Lazari, em nota divulgada pelo BAC Florida.

O copresidente do conselho de administração do BAC Floria, Alfredo Pellas, afirmou na mesma nota estar satisfeito já que Bradesco pretende manter as atuais operações, clientes, executivos e funcionários da instituição financeira.

O BAC Florida tinha US$ 2,235 bilhões em ativos totais no fim de dezembro.

Analistas do Itaú BBA consideraram a aquisição pequena para o Bradesco e que ela tende a ajudar o banco a reduzir a lacuna de sua divisão de private banking.

“Estimamos que o impacto sobre o capital do Bradesco deve ser baixo, de cerca de 30 pontos básicos de capital (vs. capital total do Tier 1 do Bradesco de 14,4%)”, afirmaram em nota a clientes. O Itaú BBA tem recomendação ‘outperform’ para as ações do Bradesco, com preço-alvo de R$ 45.

VEJA TAMBÉM: BC aprova R$ 8 bi de aumento de capital do Bradesco

A conclusão da operação, de acordo com o Bradesco, que poderá ocorrer em uma ou mais etapas subsequentes, está sujeita à aprovação dos órgãos reguladores competentes brasileiros e norte-americanos e ao cumprimento de formalidades legais.

O Bradesco relatou que contou com a assessoria financeira do Banco Bradesco BBI S.A. e assessoria jurídica do Shearman & Sterling LLP.

Executivos do banco realizam a partir de 11h30 teleconferência com analistas sobre a operação.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).