Dólar fecha na maior queda desde 1º de abril

Getty Images
Moeda norte-americana terminou o dia a R$ 3,9332

O dólar teve a maior queda ante o real em mais de um mês hoje (8), um dia depois de superar a marca dos R$ 4.

LEIA MAIS: Dólar cai ante o real

O ambiente externo menos arisco, sinais de maior esforço do governo em torno da reforma da Previdência explicaram a queda.

O real teve o melhor desempenho entre 33 pares do dólar na sessão. A moeda norte-americana à vista caiu 0,91%, a R$ 3,9332 na venda, maior baixa desde 1º de abril (-1%). Na mínima, a cotação recuou a R$ 3,9261, queda de 1,09%. Na B3, a referência do dólar futuro perdia 0,97% no fim da tarde.

Investidores acompanharam a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência da comissão especial da Câmara dos Deputados sobre reforma previdenciária. O maior envolvimento do presidente Jair Bolsonaro para conquistar mais votos para a proposta reverberou no mercado.

Na véspera, o Bolsonaro aceitou recriar os ministérios das Cidades e Integração Nacional, o que foi entendido como um afago ao Centrão.

“Estamos longe de achar que vão aprovar a reforma logo, mas esses movimentos deram ao mercado a impressão de que o governo está realmente mais engajado na articulação política”, disse Thiago Silencio, operador de câmbio da CM Capital Markets.

VEJA TAMBÉM: Dólar fecha em leve alta

Analistas aguardam agora sinais do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que anunciará em breve sua decisão para a Selic. A expectativa é que a taxa seja mantida em 6,50%, mas alguns analistas voltaram a citar chances de corte da taxa nos próximos meses.

Em outubro de 2016, a Selic estava em 14,25% ao ano. O tombo de 775 pontos-base na taxa básica desde então é citado por profissionais do mercado como um dos fatores para a desvalorização cambial de 19,4% do período, uma vez que reduziu o diferencial de retornos entre o Brasil e o mundo, deixando o mercado local menos atrativo para fluxo estrangeiro.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).