Geoffrey Rush ganha indenização recorde por difamação

Reuters
O Tribunal Federal da Austrália ordenou que a filial local da News Corp pague o valor ao ator por danos passados e futuros

O ator australiano Geoffrey Rush recebeu uma indenização por difamação equivalente a US$ 1,9 milhão de um tabloide da News Corp que o acusou de comportamento indevido em suas reportagens, a maior pena do tipo na história do país.

LEIA MAIS: Harry recebe indenização por fotos de residência

O Tribunal Federal da Austrália ordenou que a filial local da News Corp pague o valor ao ator por danos passados e futuros, além de um pagamento inicial de A$ 850 mil (dólares australianos) concedidos em abril, mostraram hoje (23) documentos legais.

Uma porta-voz da News Corp não respondeu de imediato aos pedidos de entrevista. O advogado de Rush não quis comentar.

Rush, de 67 anos, disse que os artigos publicados no “Daily Telegraph” de Sydney foram compilados às pressas porque o jornal queria um ângulo australiano para as acusações de agressão sexual feitas contra o produtor de cinema norte-americano Harvey Weinstein.

O jornal havia dito que o ator foi acusado de conduta imprópria não especificada por uma colega de elenco da peça “Rei Lear”, encenada pela Sydney Theatre Company em 2015.

O ator, que recebeu um Oscar em 1997 por seu papel em “Shine –Brilhante” e desde então tem atuado na franquia “Piratas do Caribe” – além de uma série de outros filmes –, disse que as reportagens insinuavam que ele é um “grande pervertido” ou culpado de uma grande depravação.

VEJA TAMBÉM: Ex-bilionário é condenado por extorsão nos EUA

Ao apresentar sua decisão, em abril, o juiz Michael Wigney classificou as reportagens como “temerariamente irresponsáveis” e “jornalismo sensacionalista do pior tipo”.

Neste mês, o jornal disse que existem 16 justificativas para apelação e que a conduta de Wigney “deu motivo para uma suspeita de viés”.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).