Preços maiores nos EUA levam Marfrig ao azul no 1º tri

Forbes
Segunda maior produtora de carne bovina do mundo registro lucro de R$ 4 mi

A companhia de alimentos Marfrig passou do prejuízo para o lucro no primeiro trimestre, apoiada sobretudo em melhores preços nas operações da América do Norte, embora o volume global de produção tenha caído.

LEIA MAIS: Marfrig tem lucro líquido de R$ 2,2 bilhões no 4º tri

Segunda maior produtora de carne bovina do mundo, a Marfrig anunciou ontem (15) que teve lucro líquido continuado de R$ 4 milhões no período, ante prejuízo de R$ 247 milhões um ano antes.

No conjunto, a receita líquida consolidada somou R$ 10,1 bilhões de janeiro a março, montante 7,6% superior ano a ano, embora o volume de abate de bovinos tenha caído 0,9% na mesma comparação.

No relatório, a companhia atribuiu o resultado ao aumento de receitas da operação América do Norte e à depreciação do real em relação ao dólar, “que compensou a menor receita líquida na operação da América do Sul”.

O resultado operacional da empresa medido pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização) ajustado da operação continuada foi de R$ 571 milhões, mais que o triplo dos R$ 182 milhões de igual etapa de 2018. A margem Ebitda ajustada subiu 0,4%, para 5,7%.

Em termos totais, o Ebitda da empresa no período foi de R$ 649 milhões, alta de 322%.

VEJA TAMBÉM: BRF conclui venda da QuickFood para a Marfrig

O resultado financeiro, negativo em R$ 380 milhões, ainda foi melhor do que no trimestre imediatamente anterior, também deficitário. A divulgação foi no modelo proforma, considerando os desempenhos da operação da Nacional Benef., comprada em junho de 2018, e da Quickfood, em janeiro passado.

A Marfrig fechou março com índice de alavancagem medido pela relação entre dívida liquida e Ebitda de 2,76 vezes em reais, um aumento de 0,38 vez na medição sequencial.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).